Arrancou o Fórum Social Sul Africano

 

O Fórum Social Sul Africano no Zimbabwe iniciou-se com discursos entusiásticos, mensagens de solidariedade de toda a região sul africana e alegres slogans e canções. Trevor Ngwane do Fórum Anti-privatizações de Gauteng deu inicio aos trabalhos enunciando o desejo de que o Fórum possa ser o espaço onde activistas de toda a região do sul de África desenvolvam a sua luta contra o capitalismo e mostrou o seu contentamento por ver a COSATU no Fórum tendo manifestado a esperança que os trabalhadores e as comunidades se possam unir nas lutas em todo o sul de África. No fim do seu discurso repetiu o slogan do Fórum Social Outro mundo é possível!

Lucy Matibenga do Zimbabwe, presidente do Conselho de Coordenação da União dos Sindicatos da África do Sul deu as boas vindas a todas as delegações da região que se deslocaram a Harare no Zimbabwe. Ela falou da forma como a globalização está a afundar e arruinar o dia a dia das pessoas acusando os governos africanos de «irem para a cama» com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial. Os Programas de Reajustamento Estrutural impostos por estas instituições causam desemprego e retracção do sector público sendo fonte de grande preocupação para o movimento sindical.

A manifestação de abertura deu o tom e a agenda para o Fórum. Os pedidos de unidade além fronteiras e de solidariedade regional com as lutas nacionais foram uma constante nos discursos. Também o uso do Fórum como uma oportunidade para o trabalho conjunto por alternativas reais foi referido durante os trabalhos. O fórum não deve ser apenas um local para partilhar experiências mas deve inspirar programas de acção e estratégias para construir um mundo novo. Ainda que nem todas as organizações e ONGs que tomaram parte no Fórum tenham visões políticas, a sociedade socialista foi uma alternativa apresentada em muitos discursos e apoiada por muitos delegados.

Milhares de pessoas de ONGs, movimentos sociais, uniões sindicais e organizações políticas estão reunidas e preparam-se animadamente no Zimbabwe para passarem os próximos dias discutindo e planeando uma África do sul alternativa. Veja Indymedia South Africa para as próximas reportagens!

add a comment on this article