feature archive

<<<< You are on page 63 of 94 pages >>>>
Jump to page:

Political prisoners are on a hunger strike

05.10.2004 20:42

At 17/9 , a double solid fence was raised on the upper parts of the walls on the courtyard of the white cells in Koridalos prison, so that the horizon is invisible again for the alleged members of the "17th of November" guerilla group. They refused to allow the condition of the special wing of the prison to deteriorate and they were forced back to their cells.
At 18/9 they decided to proceed to the utter way of protesting: they would go on a hunger strike, following one another, every Saturday. Since the court refused to call the trial "political", they only demand that they should be treated as any other prisoner of the penal code -as they were tried- and stop being confined in those grey tombs with restrictions of communication even with their attorneys.
The condition of some of the political prisoners is really serious and there are many protests against the special conditions of confinment but the greek state is still playing deaf.

[ thessaloniki imc | athens imc ]



&quot;Acabem com as Mentiras&quot; Os Australianos unem-se contra conservadores

RJA, 05.10.2004 15:22

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Com uma eleição federal australiana a aproximar-se dia 9 de Outubro, grupos radicais e progressistas congregaram-se em massa em cidades australianas para protestarem contra as mentiras, a política de guerra e de falsidade do governo Neo-Conservador de John Howard. Nos protestos, membros da comunidade expressaram o seu receio quanto à política do governo referente ao tratamento dado àqueles que procuram asilo, à participação ilegal na guerra ao Iraque, à assinatura do tratado de comércio livre com os EUA, à destruição do ensino superior, à desfiguração dos seguros de saúde universais, Medicare , à política federal e estatal referente às drogas e à política de ataque aos beneficiários da segurança social. Mais de 6000 pessoas estiveram presentes na Reunião de Sydney [Fotos]. Cerca de 4000 pessoas tetão participado no encontro de Melbourne [Fotos]. Em Adelaide estiveram cerca de 300 pessoas. "Várias" centenas marcharam através de Perth. Também ocorreram marchas em Brisbane e em algumas outras vilas e cidades. [OCEANIA INDYMEDIA | Don't Just Vote] Políticas anti parlamentares e o caso contra o voto



Gênova: Ainda está aqui

RJA, 05.10.2004 01:15

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

G8 Génova, Julho de 2001: uma pessoa morta a tiro, centenas de feridos, centenas de pessoas presas até nos hospitais, toda uma enorme demonstração controlada pela violência. Ainda está tudo aqui. O exame ao que se passou durante os dias do G8 em Julho de 2001, está agora em tribunal na cidade italiana. O julgamento de 25 activistas acusados de saque e devastação foi abertodepois da pausa de verão. As audições preliminares dos 29 polícias acusados de falsificação e calúnia no que concerne à invasão na Scuola Diaz começou a 27 de Setembro. Em Janeiro será o julgamento no Bolzaneto, um local onde muitos manifestantes foram temporariamente detidos e gravemente feridos.

Em cada um dos casos investigados, foram utilizados diversos vídeos e fotos vindos da polícia, mas foram também confiscados de computadores de activistas de uma forma não-objectiva, que reflecte a intenção precisa de acusar os demonstrantes como únicos responsáveis pela violência durante os dias de Génova. A partir daí, a Indymedia - Itália criou um grupo de apoio jurídico, que tem procurado auxiliarna análise a todos os vídeos, fotos, documentos e comunicações de rádio utilisados pelos acusados, e a construir uma base de dados para todos os documentos. Algumas pessoas estão a trabalhar em Génova, enquanto muitas outras têm apoiado os esforços a partir das suas cidades. Estão também a tentar relembrar as pessoas que o que se passou em Génova no G8 é completamente diferente da estória que os "oficiais públicos" contam.



+1000 Mortes: Trazendo a Morte e o Lamento à Casa Branca

RJA, 04.10.2004 14:18

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
No dia 2 de Outubro, várias centenas de pessoas (talvez dois milhares no total final) fizeram uma marcha desde o Arlington National Cemetery até ao Ellipse, a sul da Casa Branca. Transportaram com eles várias centenas de caixões de cartão do cemitério(outros foram deixados no Ellipse por voluntários que estavam à frente da marcha), através da Memorial Bridge e pelo Lincoln Memorial até à Constitution Avenue. Os caixões representam as baixas militares americanas, mais de 1000 (a cryptome.org/mil-dead-iqw refere 56 baixas no afeganistão, mas o somatório iraquiano comporta mais de 1000 pessoas, e está a crescer) só na zona de guerra iraquiana; sem incluir o Afeganistão, mercenários, empresários e indíviduos não ligados directamente à ocupação, mas mortos na zona de guerra onde ocorreu intervenção americana. A pouca quantidade de caixões cobertos (com bandeiras) representa a proporção de baixas americanas em comparação com todas as outras - iraquianas, civís, militares de outros países, etc, no Iraque. Uma série de fotos relacionadas com este artigo podem ser encontradas neste link: http://dc.indymedia.org/media/all/display/21253/index.php?limit_start= Veja também peacepledge.org/resist e www.mfso.org/



Suprime o Voto

RJA, 03.10.2004 21:30

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Já se tornou claro que o partido Republicano está a tentar suprimir os votos dos habitantes de comunidades marginalizadas da Florida ao Arizona. Um legislador Republicano do Michigan disse ser necessário "suprimir os votos de Detroit" (a cidade de Detroit tem mais de 80% de negros na sua população) enquanto que o "chefe" da Diebold, produtora da ((falhada) máquina de votos, prometeu entregar o vacilante estado de Ohio aos Republicanos.

Em resposta, milhares de activistas estão a viajar para os ditos estados "vacilantes" para ajudar a protejer os direitos humanos e direito de voto das comunidades marginalizadas (de tão difícil conquista). A NGO Global Exchange está também a patrocinar uma equipa internacional de observadores para as eleições.

Entretanto, o partido Democrata está a conduzir a sua campanha estado-a-estado de forma a manter o candidato Ralph Nader fora das urnas.

| Cobertura do Indybay |



Rádio Livre de Santa Cruz Invadida pelo Governo Federal

RJA, 03.10.2004 03:02

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Às 8:20m da manhã de quarta-feira, um grupo armado de US marshals e de agentes da FCC (a polícia da rádio nos EUA), invadiu a casa onde aRádio Livre de Santa Cruz emitia. Os agentes entraram de armas apontadas, mostrando um mandato de captura em nome de alguns dos residentes, mas nenhum deles se encontrava no local nesse momento. No entanto, todos os residentes foram obrigados a sair, alguns trajando somente pijamas ou robe, e foram conduzidos como se de gado se tratasse até ao passeio em frente da sua casa.

A Rádio Livre (Free Radio) foi atacada, após quase 10 anos de emissão para a comunidade de Santa Cruz e ouvintes de todo o mundo (através de online streaming), e após ter sido fortemente apoiada por membros da comunidade, incluindo o prefeito e o Concelho da Cidade: 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, tudo isto desafiando os regulamentos federais.

[ SC-IMC: Feature and 120 photos | Free Radio Santa Cruz | Wikipedia on the FCC ]
[ Democracy Now!: FRSC Shut Down by FCC | Donate to FRSC | FRSC Press Release | audio coverage]



Integrantes de una radio comunitaria en Oaxaca golpeados y encarcelados

30.09.2004 17:03

features2004

A las 6:13 de la mañana del 14 de setiembre, diversos cuerpos policiales entre fuerzas de la UPOE (Unidad Policial de Operaciones Especiales), policía preventiva, policía turística, Policía Judicial del Estado, Agencia Federal de Investigaciones (AFI), y vestidos de civil en un número aproximadamente de 200 policías y granaderos con gases lacrimógenos, bombas aturdidoras y lanza-aguas desalojaron a los integrantes del Guetza Radio y el Consejo Indígena Popular de Oaxaca - Ricardo Flores Magón. Siete personas están presas hasta el día de hoy.

La represión marca el más reciente ataque por el gobierno de Oaxaca a cargo de Jose Murat, contra los pueblos originarios de Oaxaca y el CIPO en particular. El CIPO conjuntamente con el Congreso National Indígena recientemente organizaron el primer Encuentro Nacional de Autonomías en lo cual participaron grupos de activistas estudiantes, sindicados de trabajadores y communidades indígenas en lucha, para facilitar un discurso de problemáticas propias a cada quien y formular prepuestas en un ámbito de apoyo mutuo.

Guetza Radio, junto con el CIPO, es una voz en la ciudad de Oaxaca que continualmente exige justicia por los pueblos indígenas y presos políticos. El golpe a la radio marca un paso más en la represión constante contra los radios libres de México, como también de un movimiento cresciente a un política fascista en el país, como se ve en la reciente violencia contra manifestantes en Guadalajara y la incrementación del influencia del PAN, partido del ultra-derecha.

Guetza Radio sigue transmitiendo desde un nuevo lugar y en una nuevo frequencia. Exigen los siguentes derechos:

1.- libertad inmediata e incondicional de todos los presos políticos.
2.- cese al hostigamiento y la represión en contra de las radios comunitarias del país, especialmente Guetza Radio.
3.- reconocimiento constitucional de las radios comunitarias, concretamente la propuesta ciudadana de radio y televisión.
4.- devolución del equipo decomisado.

Envíen sus comunicados a: Guetza Radio o al CIPO-RFM

CIPO-RFM | Indymedia México | Golpean Guetza Radio | resumen de los hechos | Encuentro National de Autonomías | cartas de Solidaridad | noticias relacionadas | fotos de los presos | más fotos | más en inglés



Vanunu 18th Anniversary

30.09.2004 13:23

Mordechai Vanunu

it is exactly 18 years and i am free and strong as i was 18 years ago - Mordechai Vanunu

Today (30 September) is the 18th anniversary of Mordechai Vanunu's kidnap by Israeli security forces.

Vanunu was a subordinate technician at the Dimona nuclear plant when he blew the whistle on Israel's clandestine nuclear weapons programme. Following his conscience, and believing the programme threatened another holocaust, he delivered photographic evidence of historic magnitude to the Sunday Times [the original article].

He was then lured to Italy from where Israel's secret police abducted him to Israel, in grave violation of international law. He was sentenced as a spy to 18 years in prison. The first 11 1/2 years, he spent in solitary confinement.



três anos e meio de prisão por se recusar a ir ao Iraque.

berkman, 28.09.2004 00:23

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Um marinheiro grego foi sentenciado a três anos e meio de prisão, por se recusar a embarcar na tripulação do navio "Navarino" em uma missão da guerra do Iraque, em maio de 2003. Ele deu o seguinte depoimento para justificar sua recusa:

"Agindo de acordo com a minha consciência, eu me recuso a tomar parte ou contribuir de qualquer maneira com a matança implacável do povo iraquiano. Me recuso a tomar parte em uma guerra que não acabou, já que mesmo depois de seu fim oficial pessoas, e entre elas muitas crianças, estão sendo assassinadas. Mesmo que essa guerra esteja oficialmente terminada, muito ainda está por vir, já que a guerra é necessária para a expansão da dominação de acordo com as regras reinantes hoje em dia. Eu declaro minha deserção do navio grego, que é um mecanismo para promover praticas inumanas através de ordens, hierarquia e atos que significam extorsão e repressão ao movimento e despertar do povo. Minha recusa também é um pequeno ato de solidariedade ao povo iraquiano e aos sentimentos pacifistas do povo grego."

War Resisters' International chamado a cartas de protesto (em ingles) às autoridades gregas e às embaixadas gregas (em ingles). mande um email de protesto (tambeme m ingles)

[ CMI Thessalonica | CMI Atenas | editorial no CMI Istambul | editorial no CMI Meulbourne]



Sem Estado e Deportado: Mobilização Popular Contra Deportação de Palestinos em Montreal

pina, 26.09.2004 18:32

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Sábado, 18 de Setembro mais de 1000 pessoas sairam as ruas do centro de Montreal carregando faixas que diziam Sem Estado e Deportado, para mostrar o aumento do apoio popular à luta dos refugiados palestinos a deportação no Canada, dentro do contexto dos movimentos de solidariedade palestina pelo mundo.

A animada e vivaz demostração foi também uma comemoração aos milhares de Palestinos refugiados que perderam suas vidas em Setembro de 1982 no massacre de Sabra e Chatila durante a invasão de Israel ao Beirute.

Atualmente no Canada há 100 Palestinos refugiados a espera de serem deportados nos próximos meses. A maioria dos refugiados são de campos de refugiados do Líbano e da Palestina Ocupada. Cidadania e Imigração Canadense tem rejeitado sistematicamente as reivindicação dos refugiados Palestinos desde 11 de Setembro. No sábado passado uma demostração ressaltava a importância política da luta dos refugiados Palestinos em Montreal e pelo Canada, que continuam lutando contra a deportação e pelo seu status.

Fotos, vídeos e relato da demostração dos "Sem Estado e Deportados" em Montreal: [ Indymedia Quebec | Electronic Intifada ]
Maiores informações no Site da Coalizão contra a Deportação de Refugiados Palestinos



Feministische Widerstandstage

21.09.2004 11:12

Vier Tage lang fanden mitten in Berlin (Deutschland) auf dem Schlossplatz die Feministischen Widerstandstage gegen Gewalt gegen Frauen, Rassismus und Sozialabbau statt. 250 bis 300 Frauen, Lesben und Transgenders, FTL) aus Deutschland, Italien, Frankreich und Schweden kamen für Diskussionen, Informationsveranstaltungen und Aktionen zusammen zu Themen wie die Gewalt gegen Frauen (dazu vor allem die drohenden Schliessungen verschiedener Frauenhäuser), Rassismus (Situation von MigrantInnen und Auswirkung der Kürzungen für sie), Sozialabbau (Hartz IV) und Neoliberalismus (GATS, Privatisierungen, Bedeutung von "Qualitätssicherung", Krieg).

In dezentralen Aktionen wurde die Zufahrtsstrasse zum Abgeordneteneingang des Bundestages blockiert um auf die Auswirkungen hinzuweisen der gegenwärtigen Ab/Umbau der Sozialpolitik (Hartz IV), Gesundheitsreform, Asylbewerberleistungsgesetz, Zuwanderungsgesetz auf die Situation von Frauen haben. In einer 'Putzaktion' zogen 60 Frauen mit Putzkitteln, Kopftüchern und Eimer durch die Stadt un putzten dabei in Cafés, Mc Donalds und in de U-Bahn, einschliesslich auf gedeckten Tischen. Auf Flugblättern wurde die Arbeitsbedingungen von illegalisierten Migrantinnen beschrieben. In anderen Aktionen wurden Strassen umbenannt und Poster mit Sprechblasen verändert, sowie Kleidungstücke in Läden wie H&M mit extra Anhängern versehen, auf denen KäuferInnen über die Bedingungen informiert wurden, unter denen diese Kleidungstücke hergestellt wurden. Zu guter Letzt, wurden Postkarten mit einem Quiz verteilt, die and den Bundeswirtschaftsminister geschickt werden sollen; Hauptpreis: unbezahlte Überstunden oder Lohnkürzungen...
Im grossen Ganzen waren die Reaktionen der Öffentlichkeit überrascht und positiv, nur das Interesse der kommerziellen Medien lag fast bei null.

[ Vollständiges Feature auf Indymedia Deutschland, English translation | Jingle | Beitrag von Radio Z | Artikel bei Indymedia mit Fotos | Aufruf
Redebeitrag: GATS: Privatisierung + ihre Folgen für Frauen
41 min Rückblick (Radio Z) ]



Declaração Final do II Encontro Continental dos Povos Indígenas de Abya Yala

19.09.2004 22:46

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Denunciamos que os governos nacionais da América estão empregando cada vez mais a repressão violenta caracterizada por violações de nossos direitos humanos e direitos como povos; a criminalização de nossos atos em defesa da vida e cerimônias espirituais; a paramilitarização; a expropriação de nossas terras, a ocupação militar; a cooptação e corrupção de autoridades locais e dirigentes; a promoção de projetos que tratam de "compensar" os prejuízos que realizam empresas transnacionais; a suposta repartição equitativa de benefícios, a migração forçada; e, promovem a divisão, a confrontação e o enfrenteamento armado entre comunidades, para impor suas políticas de exclusão, recistas e opressivas.
Nos opomos radicalmente ao estabelecimento de planos como o de Integração de Infraestrutura Regional Sulamericana (IIRSA); o Plan Puebla Panamá (PPP); o Plano Patriota; Plano Colômbia; Plano Dignidade, Plano Andino, a criação de bases militares, assim como o estabelecimento da ALCA e dos TLCs, que são impulsioados no marco da OMC e para o benefício dos países saqueadores do planeta; já que a única coisa que pretendem é a criação de infraestrutra para a circulação de suas mercadorias, o desprezo dos recursos naturais de nossas terras e territórios e a proteção de empresas transnacionais. Os caracterizamos como planos de invasão para o saque, a destruição e a morte.
ler la declaración completa | ver fotos: I | II | III | cumbre indígena Abya Yala | indymedia ecuador



Trabalhadores argentinos marcham pela lei de expropriação

pina, 19.09.2004 16:56

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Em 14 de setembro de 2004, uma delegação de trabalhadores de 200 fábricas argentinas re-ocupadas marcharam em Buenos Aires. Eles exigiam que o governo legaliza-se definitivamente a expropriação de fábricas e empreendimentos falidos que foram abandonados pelos proprietários, e ficaram sobre controle dos trabalhadores após o colapso da economia do país em Dezembro de 2001.

Uma delegação de 170 ativistas -100 trabalhadores da fábrica de cerâmicas Zanon e 70 pessoas dos movimentos sociais que apoiam a fábrica - chegaram pela manhã em Buenos Aires para marcharem a um tribunal local e ao congresso nacional, para defender um possível despejo da Zanon pelo governo[en][de]. Trabalhadores da Chilavert fábrica de pintura, Bauen Hotel, Brukman fábrica de ternos, Conforti fábrica de pintura, Renacer eletrônicos de Usuhia, Junin clínica médica, Ados clínica médica, Gattic empresa de calçados, Sasetru empresa de massas e várias organizações de trabalhadores desempregados participaram da marcha.

Após a crise em 19 e 20 de Dezembro de 2001, o governo Argentino deu a muitos trabalhadores permissão temporária de ocupação, para funcionar dentro de escritórios e fábricas. Entretanto, esses acordos tiveram um limite de 2 anos. Algumas permissões irão expirar antes do final de 2004. É incerto o modo como o governo atual irá negociar o conflito.

[Fotos: 1 | 2]
[Editorial do Indymedia Argentina Espanhol, Inglês | Revolutionvideo.org/alavio/ | Zanon | WorkersWithoutBosses.net | The Take | Znet ]



Marcha indígena lança mês de intensiva mobilização social na Colômbia

pina, 14.09.2004 17:59

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Na segunda-feira, 13 de setembro, o povo indígeno Nasa da Colômbia lançou uma grande marcha e mobilização de 3 dias contra a guerra, o neoliberalismo, a ALCA e as contras reformas constitucionais planejadas pelo governo. A marcha marca o início de um mês de intensa mobilização social na Colômbia. Os Nasas são conhecidos como sonhadores, e se tornaram os guias éticos dos movimentos sociais colombianos. Eles podem traçar sua resistência desde os tempos de rebelião contra os colonizadores espanhóis, a centenas de anos atras, passando por uma intensificação do seu movimento a algumas décadas.

Com a ajuda da Redes de Radio CMI e ARLA, e em coordenação com a Organização Nacional Indígena da Colômbia(ONIC), a marcha está sendo transmitida para todo o mundo. A transmissão via rádio começará da radiocicleta -- uma bicicleta adaptada com equipamento de radio transmissão e antena que irá acompanhar a grande marcha -- e de uma estação de rádio comunitária indígena da Colômbia. Não foi coincidência que na sexta-feira, 4 de Setembro, a estação comunitária indígena Rádio Nasa, foi fechada pelo presidente da Colômbia Alvaro Uribe.

Informações Atualizadas;Colombia Indymedia | Informações nao corporativas Z Net



Caravana popular pela soberania alimentar caminha

Milé Sardera, 11.09.2004 00:13

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Centenas de organizações camponesas e ONGs de apoio, representando milhões de agricultores asiáticos pobres participam actualmente na Caravana Popular 2004 pela Soberania Alimentar dos Povos que está a caminhar através de 15 países da Ásia e da Europa. Depois de uma primeira caravana em 2000, a caravana deste ao tem o tema “Afirmar os nossos Direitos de Terra e Alimento” e culminará no Nepal com um protesto público e una Conferência sobre Alternativas à Globalização, a 30 de Setembro. A Caravana do Povo 2004 partiu da Malásia. Duas pernas dirigem-se para o Sri Lanka e a Índia. A terceira está a cobrir vários países do Sudeste Asiático e da Ásia Central e está agora nas Filipinas. Para além disso, um pequeno grupo viaja pela Europa, onde participará nos protestos contra a Conferência Internacional de Biotecnologia Agrícola em Colónia (12-13 Set.), entre outros. A Caravana do Povo 2004 (PC2004) procura criar consciência pública dos problemas e temas associados à soberania alimentar, incluindo a OMC, a engenharia genética (GE), os pesticidas, as corporações transnacionais agro químicas, os direitos dos trabalhadores e a promoção duma agricultura sustentável. [ Pesticide Action Network (PAN) Asia Pacific | Resist Agrochemical TNCs | Indymedia Biotech | IMC-QC (Filipinas) | radiomundoreal Cobertura Rádio em Espanhol ]



Alternative Remembrances of September 11

09.09.2004 04:45

Sept 11 Families for peaceful tomorrows

The dictum "Remember 9/11" has been emblazoned across t-shirts, signs and bumperstickers across the U.S, ever since the horrific day in which four airplanes were hijacked and thousands of U.S. civilians were killed. While September 11 may be nearly impossible to forget, the right-wing in the U.S. has seemingly dominated the significance of that memory, equating it with the imperative to invade and occupy other countries, and to maim, torture and kill civilians abroad.

On September 11, 2004, actions will be held in various cities in the U.S., resisting the notion that the memory of September 11 legitimizes State-led and corporate-sponsored terror.

"Alternative remembrances" and a Day of Resistance will be held throughout the U.S. this Saturday, with actions taking place in Austin, Buffalo, Los Angeles, New York, Portland, San Francisco, Seattle and elsewhere.

Click Read more below for a summary of the day's events.

Related sites: Interfaith Communities United for Peace and Justice | MotherSpeak | September Eleventh Families for Peaceful Tomorrows



Racist violence in Greece

07.09.2004 13:37

The lights of the Olympic Games are off now in Greece. All the world is happy with the success of the Games. However, only a week after the closing ceremony racist violence against Albanian immigrants was spread around the country, following the defeat of the Greek by the Albanian national soccer team.

Before the soccer match between Greece and Albania in Tirana mass media in Greece made an effort to provoce racism. Images of crazy Albanians ready to kill all Greeks appeared in the TV news. Before and during the game there were also several acts of provocation from Albanian nationalists in Tirana.

After the match thousands of Albanian immigrants went to the streets of Greek cities to celebrate peacefully the victory of the Albanian team by 2-1 (exactly like the Greeks in Portugal when Greek beated Portugal in the final of the EURO 2004). The reaction of Greek nationalists was immediate: they organized themselves into groups and they start beating every Albanian they found. This happened in more than 10 cities of Greece. The result: 1 Albanian immigrant (Gramos Paluci) murdered by a Greek - american (Panagiotis Kladis) in the island of Zakinthos and at least 50 others wounded in several incidents on Saturday evening!

Pictures

Indymedia Thessaloniki | Indymedia Athens



RNC Protest Coverage from New York

07.09.2004 13:15

An alternative media mobilisation was providing ongoing coverage of the Republican National Convention in New York(August 30 through September 2, 2004)- see: NYC Indymedia

All kinds of reports(picture, audio, video) can be found on the URL's below:

Gov't Attempts Subpoena For Indymedia Logs - Service Provider Refuses | Photo Summary of A29 in NYC | RNC Protests Begin With Largest Ever NYC Critical Mass

Call to all 8/31 arrestees: The RNC legal team needs your info! | Various Media Photos/Videos of RNC Protests, Police Tactics, etc.

Portland IMC Coverage | Grassroots Media | CounterConvention | RNC Not Welcome | RNC Watch |Team Cascadia | No RNC! - survival

VIDEO: [ Paper Tiger.org | Manhattan Neighborhood Network ]

AUDIO: [ A-Noise / NoRNC Sound Coalition | Critical Mass Radio Network

REPORTS IN SPANISH: Two Puerto Rico IMC volunteers were in New York and posted Spanish reports here | More info(ES) here



Monday Protests in Germany

05.09.2004 22:53

For several weeks, thousands of protesters have taken to the streets every Monday against drastic social cuts. On Monday, September 6, protests are planned in about 223 cities in Germany, as well as solidarity rallies in Paris and Vienna. On Monday, August 23, 120.000 to 200.000 people participated, the largest rallies being in Leipzig, Berlin, and Magdeburg.

indymedia Germany | protest reports | labournet Germany



Aborto Governamental

04.09.2004 13:05

O barco Borndiep, utilizado pelas Women on Waves (WoW), tentou ancorar em Portugal, entre de 29 Agosto e 12 de Setembro, para lembrar que Portugal, onde as estimativas apontam para que entre 20.000 e 40.000 mulheres abortam ilegalmente todos os anos e onde mais de 5.000 mulheres sofrem graves complica��es de abortos feitos sem condi��es de seguran�a e higiene, � um dos pa�ses europeus com legisla��o (e respectiva aplica��o) mais restrita, a par da Pol�nia, a Irlanda e Malta.

Apesar das garantias de transpar�nciadadas pelas WoW, o governo de direita decidiu, a 27 de Agosto, informar o Borndiep que n�o poderia entrar em �guas territoriais portuguesas. O barco n�o deve aproximar-se mais do que as 12 milhas da costa portuguesa e, para refor�ar esta decis�o, Paulo Portas, enviou dois navios de guerra para vigiarem os movimentos da embarca��o.




<<<< You are on page 63 of 94 pages >>>>
Jump to page: