feature archive

<<<< You are on page 75 of 94 pages >>>>
Jump to page:

Over Half a Million Workers on the Streets Across Australia

15.11.2005 15:58

More than half a million people took part in over 300 protests across Australia on 15 November, the first initiative of a national movement of workers showing their solidarity in opposition to proposed Industrial Relations laws, an attack on workers conditions, by the Howard Federal government. Melbourne saw possibly the largest political rally in its history with up to 250,000 people clogging the heart of the City, and marching in a crowd that reached for 18 blocks. Sydney also saw around 45,000 people gathered in Martin Place after an early morning blockade of the M4 motorway, while Perth, Adelaide, Brisbane, Hobart and Darwin all saw unprecedented crowds. Regional Australia also came out in force, and solidarity protests occurred in Wellington, Auckland and Christchurch.

Melbourne IMC | Australian Council of Trade Unions | "Your Rights at Work - worth fighting for", Official Campaign Site



Police brutally supress peaceful march in Durban

imc-durban, 15.11.2005 07:07

Foreman Road march

At noon on the 14th of November 2005, at the Foreman Road settlement in Clare Estate, Durban, police attacked a peaceful demonstration of settlement dwellers from around the muncipality. Dozens have been arrested. As of 2:30pm, police had surrounded the Foreman Road settlement and blocked both exits. No one is being allowed in or out. Shots have been heard, and there are reports that anyone attempting to leave the settlement is being fired upon. Eyewitness reports suggest many injuries due to rubber bullets.

The elected committee of Abahlali base Mjondolo, a shack dwellers movement with 16 affiliated settlements, followed due procedure in attempting to gain permission for the march. The city council, however, illegally denied the application (see letter below from the Freedom of Expression Institute for details). At 11am, the majority of the 3000-strong crowd decided to march to the nearby Asherville sports field. This was a route recommended by the Mayor’s office at a meeting on Friday, 11 November, in the Mayor’s presence.

Background info here. And an update.



Prefeito de São Paulo Promove Operação de Higienização Social no Centro

bamzin, 12.11.2005 17:05

Moradores sendo expulsos, repressão a sem-tetos e camelôs, violência policial em prédios ocupados e perseguição a movimentos sociais são uma balança das medidas higienistas lideradas pelo prefeito de São Paulo José Serra e seu Secretário de Serviços Andrea Matarazzo - também responsável pela direção de obras do centro da cidade - em nome de uma "Revitalização do Centro" de São Paulo.

Desde o começo de sua administração, Serra (Partido da Social Democrata Brasileiro - PSDB) iniciou este projeto fazendo uso do financiamento do BID - solicitado ainda no último governo (2001/2004) de Marta Suplicy (Partido dos Trabalhadores - PT). Serra tem a intenção de promover um pólo tecnológico no centro da cidade, atraindo grandes empresas. Inumeráveis ações têm sido tomadas desde então: grandes calçadões têm sido abertos entre as ruas, impossibilitando o trabalho de camelôs naqueles locais, uma chamada rampa "anti-moradores de rua" foi construída abaixo do viaduto da Avenida Paulista para expulsar os moradores de rua que moravam lá. A polícia invadiu de forma violenta vários prédios ocupados: além de expulsar a população pobre que morava naqueles locais, Serra determinou um certo número de prédios no centro da cidade que devem ser desapropriados e restaurados visando atrair empresas.

Em oposição à revitalização higienista do centro, vários movimentos planejaram ações em solidariedade à população desfavorecida. A Associação Internacional dos Confeiteiros Sem Fronteiras lançou uma torta na cara do Secretário de Habitação Orlando de Almeida durante uma conferência na USP - Universidade de São Paulo. Em outra ocasião o Fórum Centro Vivo, uma coalizão de vários grupos baseados no centro de São Paulo, organizou um ato de escracho em frente à casa do Secretário de Serviços, Andrea Matarazzo.

Leia Mais
Escracho na casa de Andrea Matarazzo | Video - Escracho: [1] [2]
Tortada na casa do secretário Orlando de Almeida | Video - Tortada
Serra constrói "Rampa Anti-Moradores de Rua" | Video - rampa anti-moradores de rua: [1] | [2] | [3] | Indymedia Brasil
Mais artigos: Prefeitura de São Paulo ameaça desapropriar cooperativa autônoma | BID e "Revitalização do Centro" | Esvaziando prédios em nome do "progress" | Mais uma ocupação despejada no centro - Texto, fotos e vídeo | Trabalhadores Sem-teto ocupam quatro prédios em SP - Novembro de 2005
CMI na Rua (jornal de rua)
#10 - Polícia reprime sem-tetos lutando por moradia | #13 - Ação policial em desocupação viola direitos constitucionais | #15 - Perseguição aos camelôs | #16 - Situação é crítica para catadores | #17 - Tortada no Secretário de Habitação | #18 - Rampa anti-moradores de rua | #19 - Escracho na casa de Andrea Matarazzo



Colômbia: Tropas e blindados atacam comunidades pacificas

agualva, 12.11.2005 16:41

El Japio: Esta quinta feira, Belisario Camayo Guetotó, um jovem de 16 anos da vigilância indígena, foi morto pela policia anti-motim e muitas outras pessoas ficaram feridas, uma delas por disparo de arma de fogo. A policia está usando veículos blindados contra os povos indígenas. A policia anti-motim (ESMAD) com os seus veículos blindados está a tentar expulsar os Nasa de El Japio; Entretanto, os Misak ocuparam a Fazenda Corazon em Piendamó.

Mais informação: Colombia Indymedia



115 arrested for protesting against hunger in Zimbabwe

imc-sa, 09.11.2005 20:36

The Independent Zimbabwe Campaign reports that on Tuesday 8 November the Zimbabwe trade union movement, headed by the ZCTU (Zimbabwe Congress of Trade Unions), called a demonstration, against the poverty and hunger the majority of Zimbabweans face right now.

Trade unionists in their thousands, including other opposition groups - Women of Zimbabwe Arise (WOZA), the National Constitutional Assembly (NCA), and the International Socialist Organisation (ISO-Zimbabwe) - congregated in central Harare. The police sealed off the area and prevented them from marching to the government offices. The police, mainly picking off prominent leaders, then arrested one hundred people, and took them to the Harare Central Police Station. They were charged under the Public Order and Security Act (POSA), notorious for preventing people from protesting against violations of workers' and human rights. NCA members Lovemore Madhuku and Misheck Shoko have been in detention since 5 November. Today's arrested people have been put in the same cells as the NCA members.

Some of those arrested include: Lovemore Matombo, ZCTU President, Wellington Chibhebhe, ZCTU Secretary General, Netsai Dzinoreva, NOC Member Zimbabwe Social Forum, Briggs Bomba, National Co-ordinator ISO, Aaron Dhliwayo, Harare Branch Co-Ordinator ISO, Munyaradzi Gwisai, National Co-Ordinator ISO, Canwell Muchadya, President ZGAWU (Printing Union), Regis Mututu, Chairperson Zimbabwe Social Forum, Rita Nyamupinga, NOC member Zimbabwe Social Forum.



Um grito por ajuda da Etiópia

agualva, 07.11.2005 19:51

Segundo testemunhas em Adis Abeba, capital da Etiópia, a violência irrompeu na semana passada, terça feira 1 de Novembro, após cinco meses de calma relativa. « Neste momento em que estou a falar, muitas pessoas estão a ser detidas e mortas. Eu vi forças especiais da policia pontapeando estudantes e pessoas comuns nas ruas...». Disse um etíope a trabalhar para uma organização não governamental internacional.

Os protestos iniciaram-se depois das disputadas eleições multi-partidárias de Maio último. Os lideres da oposição foram presos em 31 de Outubro. As detenções desencadearam uma série de protestos por parte da sociedade civil que acabaram em violentos enfrentamentos entre civis e forças policiais enviadas pelo governo. Testemunhas descrevem cenas de horror com as forças especiais da policia a abrirem fogo sobre civis mesmo quando estes tentavam ajudar os feridos.

Clique aquiaquipara mais informação



Summit of the Americas

San Francisco Bay Area, 06.11.2005 08:07

Leaders of all the countries of the Western Hemisphere, except Cuba meet in Mar del Plata, Argentina from October 28 through November 5 for the Fourth Summit of the Americas. Talks on the resumption of negotiations on creating the US-proposed Free Trade Area of the Americas ended in a deadlock after a group of left-leaning countries, headed by Brazil and Venezuela, opposed the idea, saying it would open their countries to exploitation by large American firms and do little to alleviate poverty. Read More

A People’s Summit was organized as a counter protest and thousands gathered to hear Venezuelan President Chavez speak. Audio From Democracy Now
The participation of US President George W. Bush in the Summit of the Americas unleashed a wave of popular outrage in both Argentina and Uruguay. Thousands marched in Argentina and among those marching was Argentine soccer superstar Diego Maradona. Later in the day 1,000 rioters clashed with police, setting bonfires in the streets and destroying storefronts. Over 87 people were arrested and 5 people are missing. Two Indymedia journalists were among the 87 people who have been detained by police.

Argentina Indymedia provided independent coverage from the streets of Mar Del Plata where the FTAA (Free Trade Area of the Americas) Summit of the Americas was held. Check out San Diego Indymedia for English-language translations.

Protesters mass to confront Bush in Argentina | Bush faces mass protests, opposition to trade pact in Argentina | Bush rebuked by the hand of God | Wikipedia: Mar del Plata Summit of the Americas



Hacienda Luisita Union Leader Shot Dead, Dissidents Condemn Killings

06.11.2005 06:12

After the massacre, assailants suspected to be the operatives of Philippine Armed Forces Region 3 Command under General Palparan, gunned down Hacienda Luisita union-leader, Ricardo Ramos, Tuesday night.

According to reports gathered from mainstream media, Ricardo Ramos, 47, president of the Central Azucarera de Tarlac Labor Union (CATLU), was shot and killed on Tuesday while drinking with friends in his backyard in Barangay Mapalacsiao five hours after the union received at least P8 million from the Hacienda Luisita Inc. as settlement for back wages.(source: inq7.net)

“The murder of Ramos is the fresh addition to the long line of labor leaders who have been killed during the Arroyo administration.” says BMP (Solidarity of Socialist Filipino Workers) in a given solidarity statement condemning the State for carrying terrorist campaign against workers struggle for genuine unionism and social reforms. BMP also said that State sponsored terrorism has gone berserk even in workers picket lines, pointing out the recent murder of a worker from Scneider Packaging Corp. in a violent dispersal by police and scabs using the power of Assumption of Jurisdiction ordered by Department of Labor.

In case of another attack, a unified civil liberties movement was suggested by Jun Simbulan of Philippine Greens to strengthen the ranks of various dissident groups by setting aside each own ideological differences.



Polícia invade casas para remover bandeiras

bamzin, 06.11.2005 16:15

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

No dia 27 de Outubro, um incêndio estourou no centro de deportação em Schiphol, próximo a Amsterdam, Holanda. Resultando em 11 mortes. No mesmo dia, um despertar foi organizado em nome das vítimas. A questão da responsabilidade e também das causas do incêndio foi imediatamente levantada.

Atos de solidariedade instigaram em várias municipalidades e cidades. Em Amsterdã este foi feito através de uma ação de bandeiras. Desde o dia primeiro de Novembro, bandeiras têm sido penduradas em um bom número de casas, pondo em questão a administração da ministra Rita Verdonk e suas conseqüências mortíferas.

O prefeito Job Cohen - que tinha até então defendido ardentemente a liberdade de expressão no dia de comemoração dedicado a Theo van Gogh - parece pensar de uma forma totalmente diferente a respeito do assunto dois dias após. Ou, a liberdade de expressão se aplica somente na criminalização dos grupos minoritários e na escalada das proclamações racistas, fascistas e anti-semitas?

Na sexta-feira, quatro de Novembro, ás 8 da noite as primeiras tentativas foram feitas para remover as bandeiras que questionavam a política de imigração holandesa na fachada da casa invadida (squat) "Wilde Western". Nas primeiras horas da manhã seguinte a polícia promoveu um ataque brutal contra a casa, resultando em vários danos no interior, também removendo a bandeira violentamente.

Fotos: [ despertar | bandeiras | danos após invasão ]



Paris Está Queimando: Racismo e Repressão Explode em Semana de Insurreição

bamzin, 06.11.2005 13:54

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Os africanos que vivem e trabalham em Paris têm sido empurrados para dentro de guetos suburbanos parisienses (banlieue), onde o estado tem retirado educação, saúde e outros serviços, enquanto aumenta a presença policial, pontos de fiscalização, incursão a sem-papéis e níveis de opressão em geral. Os subúrbios explodiram nessa semana.

O gatilho foi apertado na Terça, 27 de outubro de 2005, enquanto um grupo de 10 jovens do ensino médio estavam jogando futebol no subúrbio parisiano de Clichy-sous-Bois. Quando a polícia chegou para checar suas carteiras de identidade, os jovens correram para se esconder, pois alguns deles não tinham carteira de identidade. Três dos jovens se esconderam em uma construção que abrigava um transformador elétrico da EDF e foram eletrocutados. Dois deles, Ziad Benn (17) e Banou Traoré (15), morreram; o terceiro, Metin (21), foi seriamente ferido.

Na manhã de Sábado, 1000 pessoas se juntaram em uma marcha organizada por associações religiosas e mesquitas em Clichy-sous-Bois. Representantes da comunidade muçulmana pediam por calma e manifestantes usavam camisas dizendo mort pour rien ("morte para nada"). O prefeito de Clichy, Claude Dilain, pediu por um inquérito para averiguar a morte dos dois meninos. Todos os olhos estavam no Ministro do Interior Nicolas Sarkozy. A resposta? Enquanto as pessoas se juntavam nas mesquitas pela "Noite do Destino", a noite mais sagrada no mês do Ramadan, uma noite em que as pessoas normalmente passam na mesquita, as ruas vazias da Cité du Chêpe Pointu foram ocupadas por cerca de 400 policias de choque, bloqueando o bairro. Logo algumas poucas pessoas permitiram a si mesmas a serem provocadas quebrando a santidade daquela noite, apesar dos insultos racistas por parte da polícia.

No Domingo, contudo, a provocação virou uma afronta quando a sala de reza das mulheres na mesquita de Bousquets foi tomada pela polícia por gás lacrimogênio. Enquanto as pessoas tropeçavam ofegando por ar, os policiais chamavam as mulheres de "putas", "vadias" e outros insultos.

[Relatórios do IMC Paris (fr): 1 | 2 | 3 | 4 ] [ Depoimento de testemunha ocular em Inglês: UK IMC kersplebedeb ]



Caravana Européia Contra a Cerca: Ninguém é Ilegal

bamzin, 02.11.2005 18:22

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Pular os muros que separam o Marrocos das enclaves coloniais de Ceuta e Melilla tem sido há muito tempo uma forma de entrar na Europa pela África. Forças de segurança começaram a ameaçar violentamente os imigrantes que tentam atravessar. Em resposta, a Caravana Européia contra a Cerca da Morte protestará em Ceuta nos dias 4, 5 e 6 de Novembro.

"Em vários lugares da Europa estão havendo reuniões e protestos para dizer "basta!": basta aos assasinatos, basta as deportações sanguinárias, basta aos socos e aborrecimentos, basta aos investimentos na militarização da fronteira. Nós, grupos sociais e espaços auto-organizados, ativistas da mídia independente, cidadãos europeus nascidos aqui e lá, associações de bairros, assembléias e fóruns de imigrantes de diversos lugares da Europa, decidimos nos juntar em uma caravana rumo ao muro de Ceuta, de forma que o nosso "Basta!" seja escutado mais alto.

Nós vamos em direção às barricadas, lugar de um crime perpetuado em nome das Democracias Européias. Nós vamos em direção às barricadas que são o símbolo de um regime de fronteiras feito não somente de barreiras físicas e zonas vigiadas mais e mais militarizadas, mas também de um sistema de acesso à direitos que criam cidadãos de "primeira classe" e "segunda classe" (e também os "não-cidadãos"), ambos conduzindo a um verdadeiro apartheid na vida social e trabalhista, criando as condições precárias de vida e trabalho e propagando o medo contra "o Outro".

Nós convidamos todos, homens e mulheres de diferentes cidade européias, para se juntarem a nós nessa jornada. Porque hoje mais do que nunca, face à crueldade, contra a proliferação das barreiras e do sistema de inclusão/exclusão que existe na europa, ser parte da sociedade significa dizer "basta" à cerca da morte e a tudo que simboliza: não no nosso nome! Significando também aliança aqueles tentando cruzar o muro, defendendo seus direitos de existência que também é nosso direito... em um mundo melhor."

[ Indymedia Estrecho ]



Oceania Indymedia Newsreal 3 Online

bamzin, 02.11.2005 17:33

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Oceania Indymedia Newsreal 3 é uma compilação de curtos documentários críticos focalizando em questões sociais e ambientais na sudeste asiático, Austrália e pacífico. A edição 3 inclui pedaços de lutas dos Maori em Aotearoa, a campanha do Timor Leste contra o roubo de petróleo por parte da Austrália no Mar do Timor, vida e resistência nos subúrbios de Jakarta, mudança climática no Pacífico, Food Not Bombs na Austrália e muito mais.

Uma lista de vídeos e links para download dos pedaços individuais pode ser encontrada na página Oceania Newsreal. Você pode baixar a versão completa em archive.org, ou um bittorrent em indytorrents.

O Newsreal também é distribuído em VCD, licenciado usando Creative Commons. Se você está interessado em obter uma cópia contate o EngageMedia.

Oceania Newsreal | EngageMedia | Indymedia Video]



Mhlengi Khumalo is gone

29.10.2005 13:47

KENNEDY ROAD, DURBAN, 26 OCTOBER 2005 - Last Friday 16 shacks burnt down in the Kennedy Road informal settlement in Durban. A one year old boy, Mhlengi Khumalo, was very badly burnt and died on Saturday night. This was the third conflagration this month. The fire started when a candle was knocked over. Until 2001 pre-paid electricity meters were being installed in shacks. To get electricity you needed to pay R350 and to be able to represent your case in a certain way. According to S'bu Zikode from the Kennedy Road Development Committee "It all depended on who applied. If you seemed ignorant because you can't speak English you were just told to wait outside." The eThekwini Metro has since informed Kennedy Road residents that there is a "new policy not to install electricity in informal settlements".

Their electrification policy openly states the following:

5. Informal Settlements
In the past (1990s) electrification was rolled out to all and sundry. Because of the lack of funding and the huge costs required to relocate services when these settlements are upgraded or developed, electrification of the informal settlements has been discontinued.

More than 70 people with receipts for payments for installation have neither a refund nor electricity. If the installation of electricity to the settlement had not been halted these fires, and Mhlengi's death, could have been avoided. Pre-paid meters won't stop fires altogether though since many people can't afford to buy electricity on credit. The fires will stop when there is decent housing and free basic services for everyone.

Read more here.



Evacuação do Squat DeCentrum

bamzin, 28.10.2005 00:37

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Durante a tarde de terça do dia 25 de Outubro de 2005, a polícia foi ao squat Decentrum (em Białystok) acompanhada de funcionários municipais e do proprietário, munidos de um mandato judiciário para a evacuação do local, estes convidados não tocaram a campainha e quebraram a porta do squat. Quando um dos moradores do squat se recusou a partir pacificamente, guardas municipais o tiraram do quarto em direção ao corredor, onde dois guardas o seguraram, ele foi espancado no rosto e então recebeu um pontapé de um terceiro no abdômen, além de ser ameaçado em ser jogado na escada. Os moradores do squat retiraram o material do imóvel. Eles e elas declaram sua intenção de não perder o squat sem resistência e pedem por ações de ajuda.
http://pl.indymedia.org/pl/2005/10/16494.shtml http://pl.indymedia.org/pl/2005/10/16495.shtml http://pl.indymedia.org/pl/2005/10/16499.shtml

Quarta-feira, 26 de Outubro de 2005 ás 14h30, uma manifestação em defesa do DeCentrum está prevista em frente à prefeitura na rua Słonimska, 1 em Białystok. http://pl.indymedia.org/pl/2005/10/16504.shtml (pl)

Uma ação de solidariedade acontecerá em Varsóvia em baixo do MSWiA (Ministério dos assuntos internos) na rua Batorego 5, quinta-feira as 15h, também em Poznań na rua Półwiejska, ao lado do Stary Marych, também na quinta-feira as 15h.

Mais informações: http://decentrum.bzzz.net | http://foodnotbombs.prv.pl

Neste ano, outros squats tiveram problemas com as autoridades: Ataque brutal no squat fabryka - relatório sobre a invasão, registros: a chegada, reclamação no telefone, destruição da barreira. Ataque policial no squat Elektromadonna: reportagem, invasão no squat Spółdzielnia - reportagem.



10 Anos de Polícia Comunitária

bamzin, 25.10.2005 21:02

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Nos dias 14 e 15 deste mês se celebrou na comunidade Pueblo Hidalgo do município San Luis Acatlan, Guerrero, México, o décimo aniversário da Polícia Comunitária.

O evento reuniu aproximadamente 1500 pessoas, membros do movimento da Polícia Comunitária de várias regiões, habitantes de povoados próximos, ativistas e simpatizantes de outros estados do país.

A polícia comunitária forma uma parte do sistema de justiça comunitária, constituída por diversas instituições como a Coordenação Regional de Autoridades Comunitárias (CRAC) e as assembléias comunitárias e regionais. O movimento de justiça comunitária envolve 62 comunidades agrupadas em 5 municípios. Dentro desta organização encontramos mixtecos, tlapanecos, nahuas e mestiços.

Roda de Imprensa com a Polícia Comunitária | 10º Aniversário da Polícia Comunitária | Convocação: Décimo Aniversário | Começo Caloroso | Indígenas exigem respeito ao seu sistema de seguridade



Activistas mobilizam-se para a cimeira em Hong Kong da OMC

agualva, 23.10.2005 17:52

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Ministros do Comércio, ONG e movimentos sociais estão a convergir para Hong Kong, China, para o 6º Encontro de Ministros da OMC (Organização Mundial do Comércio) que irá reunir entre 13 e 18 de Dezembro de 2005. Uma rede de actividades está já montada e em desenvolvimento tendo como eixo central a Hong Kong People's Alliance on the WTO [inglês | chinês] e a Stop the New Round Coalition (SNRC) entre outras.

Camponeses e pequenos agricultores das Filipinas, Indonésia, Formosa, Tailândia e Coreia estão-se a organizar para irem a Hong Kong manifestar-se contra a globalização das corporações e para apresentarem propostas alternativas. Conferências, acontecimentos culturais, mobilizações de massas e acções directas estão a ser planeadas para se realizarem entre os dias 11 e 18 de Dezembro indo a maior parte das actividades concentrar-se durante a Semana de Acção dos Povos, que vai abrir com uma assembleia pública dos movimentos no dia 13 e fechar com uma grande manifestação a 18.

O ímpeto organizativo tem vindo a aumentar com uma série de encontros e tomadas de posição feitas por ONG regionais da Ásia e movimentos sociais, incluindo a Declaração de Colombo em Junho: "Nós, trabalhadores, camponeses organizados ou não, povos indígenas, pescadores, mulheres, estudantes, imigrantes e outras comunidades marginalizadas da Ásia em solidariedade com outros povos do mundo estaremos na frente da luta global contra o encontro ministerial em Hong Kong."

Activistas do Media irão também chegar vindos das regiões em volta e de todo o mundo para fazerem workshops e partilharem experiências, combinarem estratégias conjuntas e fazerem a cobertura independente das mobilizações e acontecimentos em Hong Kong. A conferência dos meios de comunicação social será chamada Novos Media e Transformação Social. O maior propósito da conferência será aprofundar a discussão em torno do movimento de medias independentes na Ásia e elaborar um plano de colaboração a longo prazo. Entretanto um workshop será organizado para repórteres independentes que fará a cobertura da Cimeira da OMC e partilhará as experiências no fim das mobilizações. Aqui está a actualização do programa da conferência Novos Media e Transformação Social . [inmediahk site em Chinês].

Mais informação: ZNet | Third World Network | Declaração da Conferência OMC, Desenvolvimento e Migrações | Declaração de Colombo
Ligações para as mobilizações:



Exército dos Palhaços empenha-se contra beneficiados pelas guerras: 20 presos

bamzin, 19.10.2005 22:50

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Mais de 70 pessoas participaram de uma ação organizada contra a conferência da Associação da Indústria de Armas de Defesa tida em Te Papa, Nova Zelãndia na terça-feira. A ação, organizada pela Ação de Paz de Wellington, envolveu um grande bloqueio passivo de indivíduos sentados feito pela Armada Revolucionária dos Palhaços de Aotearoa em frente ao Te Papa que durou cerca de duas horas e meia, e também um bloqueio em frente a um veículo armado. Vinte pessoas ao todo foram presas, por acusações variando entre obstrução, violação e agressão a policiais. [Relato Inicial | Relato Completo | Fotos 1 | Fotos 2.

Aotearoa IMC | Ação de PazWellington | No WARP



Arrancou o Fórum Social Sul Africano

agualva, 17.10.2005 19:40

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

O Fórum Social Sul Africano no Zimbabwe iniciou-se com discursos entusiásticos, mensagens de solidariedade de toda a região sul africana e alegres slogans e canções. Trevor Ngwane do Fórum Anti-privatizações de Gauteng deu inicio aos trabalhos enunciando o desejo de que o Fórum possa ser o espaço onde activistas de toda a região do sul de África desenvolvam a sua luta contra o capitalismo e mostrou o seu contentamento por ver a COSATU no Fórum tendo manifestado a esperança que os trabalhadores e as comunidades se possam unir nas lutas em todo o sul de África. No fim do seu discurso repetiu o slogan do Fórum Social Outro mundo é possível!



Stanley &quot;Tookie&quot; Williams será executado em 2006 se não for pedida clemência

agualva, 15.10.2005 01:13

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
A 11 de Outubro o Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitou o apelo de Stanley "Tookie" Williams reclamando a investigação do racismo e da discriminação que estão no centro do seu caso assim como das possibilidades de inocência. O procurador, de uma forma original, retirou todos os jurados negros do júri para que a decisão fosse tomada apenas por brancos. No julgamento este procurador fez observações marcadamente racistas e nas argumentações finais comparou Williams a um tigre de bengala num jardim zoológico, alegando que a comunidade negra- Sul Centro de Los Angeles- era o equivalente ao "habitat" natural do Tigre de Bengala.

estória original | Leia mais sobre a decisão de 11 de Outubro | Cobertura do caso Williams



Paris: cresce a resistência às rusgas policiais e às expulsões

agualva, 09.10.2005 01:18

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
A policia de Sarkozy começa a ficar seriamente preocupada com uma resistência que alastra além do circulo dos activistas. Um motim ocorreu terça feira em pleno centro de Paris, em Château-Rouge, quando a policia começou mais uma vez a desalojar e deter emigrantes.Como vem acontecendo desde há várias semanas [fotgrafias], mensagens com alertas urgentes são prontamente colocadas no Paris Indymedia,mas desta vez os activistas que ocorreram ao local tiveram a agradável surpresa de contar com o apoio da população e dos transeuntes que se juntaram na acção. A policia não teve outro remédio senão bater em retirada.

[Reportagem fotográfica no '20 Minutes']




<<<< You are on page 75 of 94 pages >>>>
Jump to page: