feature archive

<<<< You are on page 78 of 94 pages >>>>
Jump to page:

Zapatistas Announce Red Alert; Suspend Activities of La Otra Campaña; Solidarity Demonstrations Planned Internationally

04.05.2006 17:51

DONATE to help the efforts to free the political prisoners of Atenco with the following account number of Santander Serfin: 605 152 07 155 - cml-df

As of the afternoon of May 3, Subcommandante Marcos of the EZLN (National Zapatista Army of Liberation) announced during a public act in Mexico City a new red alert and closure of Zapatista caracoles and suspension of activities of La Otra Campaña, which has now become a struggle to support the people of Texcoco, who for the past two days have been experiencing severe government repression.

Thursday morning found the south of Mexico City entangled in street blockades and protests with students, workers and peasants demanding justice for the people of Texcoco. Dozens of people have been arrested and the city police have been brutally detaining the protests. Early afternoon, it looks like student demonstrators will return to the National Autonomist University of Mexico (UNAM), Latin America’s largest institute of higher-learning, and attempt to occupy various sections of the school.

Wednesday morning, flower vendors from People in Defense of the Land Front (Frente de Pueblos en Defensa de la Tierra) occupying a space in the Texcoco market were brutally repressed by state police. As they moved to reoccupy their space in the pre-dawn hours, the 40 flower vendors received back-up from the nearby municipality of Atenco. Arming themselves with machetes and Molotov cocktails, the vendors were hit with tear gas and batons. While defending their space in the market in Mexico state, a 14 year-old boy died from the impact of tear gas in the chest and more than forty people were arrested.

Protest at Mexican Consulate in New York, Friday, 12:30 p.m. | Virtual Sit-in Against Mexican Government!

See also: The Other Mexico on the Verge of an Explosion from Below | Violencia en Texcoco - EZLN en Alerta Roja | Golpean a activistas en Tijuana | Se suspende la Otra campaña: Alerta Roja en las Juntas de Gobierno Zapatistas de Chiapas | ALERTA ROJA

Independent Media: Live radio coverage from Mexico City | NarcoNews | Centro de Medios Libres | Mexico Indymedia | Chiapas Indymedia



Bolívia nacionaliza gás e petróleo

Indymedia Brasil, 03.05.2006 14:18

De forma inesperada o 1º de maio boliviano foi marcado pela ocupação, com tropas do Exército, das instalações da Petrobrás naquele país. A ação, que contou com a presença do presidente Evo Morales em uma das refinarias, marcou o início da nacionalização do gás e do petróleo. O vice-presidente boliviano, Álvaro García, disse que funcionários da estatal energética Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e militares começaram a assumir o controle das 56 instalações petrolíferas. Recentemente a Central Obrera Boliviana (COB), uma das principais forças político-sociais, reclamava dos poucos avanços do governo na nacionalização dos recursos naturais. Paralelo às mobilizações de 1º de maio convocadas pelo Movimento ao Socialismo (MAS) - partido do presidente Evo Morales - a COB havia convocado uma mobilização para rechaçar "a negativa de Evo Morales em expulsar as transnacionais, nacionalizar sem indenização o gás e o petróleo e acabar com o domínio do neoliberalismo e proprietários de terras". Ainda não é possível avaliar o impacto da decisão do governo boliviano nas relações com a COB, que junto com as multinacionais foi pega de surpresa pelo decreto.

O governo brasileiro foi surpreendido e marcou uma reunião entre alguns presidentes sul americanos, como Lula, Chavez e Kirchner, marcado para a próxima quinta-feira, 04/05, para avaliar que medidas tomar. A companhia Espanhol/Argentina, Repsol YPF, tambem mostrou preocupações sobre a medida. O Primeiro Ministro espanhol disse que estava “profundamente preocupado”. A Respsol YPF controla cerca de 25,7% de toda a produção de gás na bolivia. A situação promete ficar mais complexa já que logo após o decreto Evo Morales prometeu nacionalizar todos os recursos naturais do país: "Estamos começando a nacionalizar os hidrocarbonetos. Amanhã será a mineração, os recursos florestais. Serão todos os recursos naturais".

Artigos Relacionados: Bolívia nacionaliza gás e petróleo. Lula convoca reunião de emergência [PT] | Bolívia nacionaliza gás e petróleo[PT]

Para maiores informações acesse: Econotícias | Agência Carta Maior | Indymedia Bolivia | Indymedia Brasil



You are OK!

03.05.2006 03:21

Essa foi a resposta que George W. Bush deu ao líder chinês Hu Jintao, após protesto da chinesa Wang Wenyi no início do discurso do mandarim "comunista", que se encontrava em visita aos EUA semana passada. Wang gritou, em inglês e chinês: "Presidente Hu, seus dias estão contados. Presidente Bush, faça-o parar de perseguir a Falun Gong". Após a manifestação de Wang, Bush disse ao seu colega: "You are Ok" , e a manifestante foi retirada da Casa Branca pelos seguranças. O serviço secreto norte-americano abriu um processo contra a ativista por "conduta desordeira" e pode processá-la por "intimidação ou perturbação de autoridade estrangeira".

Esse é o capitulo mais recente da perseguição que o governo chinês promove à Falun Gong, também conhecida como Falun Dafa, filosofia chinesa que mistura meditação com exercícios marciais. Em um tempo relativamente curto o Falun Dafa conseguiu aglutinar mais de 100 milhões de adeptos. Um verdadeiro susto nos mandarins vermelhos, que há muito se acostumaram à ter qualquer tipo de organização da sociedade civil sob rígido controle.

Links: Site do falun dafa | Centro informativo falun dafa | Métodos de tortura utilizados contra o falun dafa



Protestos não-violentos na Palestina Ocupada pedem a libertação de prisioneiros

agualva, 22.04.2006 19:24

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Enquanto os média se concentraram esta semana no jovem palestiniano que se fez explodir matando consigo oito pessoas, a ocupação violenta da Palestina por Israel prossegue, tendo os palestinianos organizado ao longo da Cisjordânia e da Faixa de Gaza protestos não-violentos para desafiar os 39 anos de ocupação ilegal da sua terra e pedir a libertação dos mais de 9.000 prisioneiros palestinianos detidos por Israel, a maior parte dos quais sem qualquer julgamento.

Em Bil'in, na Cisjordânia, palestinianos, israelitas e activistas internacionais concentraram-se em protesto Sexta-feira, 21 de Abril, junto de um dos muitos lugares onde o exército israelita prossegue a construção do Muro de Anexação ao longo da Palestina. Os protestos desencadearam-se depois da decisão do Supremo Tribunal de Israel autorizando a construção do Muro também em volta de Jerusalém, o que irá isolar em «guettos» cerca de 250.000 palestinianos.

Audio: Reportagem dos protestos no Dia do Prisioneiro Palestiniano (.mp3) || Audio: IMEMC Weekly Report - April 15 - 21 || Mais relatórios sobre prisioneiros Palestinianos

Cobertura actualizada: International Middle East Media Center || Rede Noticiosa da Palestina || electronic intifada



Onda de Mobilizaçõe pelos direitos dos imigrantes ganha força nos Estados Unidos

alexzapa, 15.04.2006 18:45

immigrant rights graphic Seguindo o exemplo das massivas mobilizações do 25 de março e das marchas de estudantes durante a semana seguinte, o 10 de abril abril foi um dia histórico de ação para os direitos dos imigrantes através de todos os EUA. Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas em Los Angeles [ 1 | 2 ] e em Santa Ana, enquanto que 5.000 manifestaram-se em St. Louis levantaram suas vozes na maior manifestação da história de Fresno San Diego também fez sua história com uma manifestação de umas 100.000 pessoas no 9 de Abril, como fez Houston Houston com mais de 50.000, cidades por toda Arizona, e uns estimados 100.000 em Atlanta. Houve manifestações em Bay Area, em Tennessee, em Rochester, NY, e em DC. Em Portland, até 8.000 protestaram, enquanto que milhares se reuniram em Love Park em Philly. Aliados mobilizaram-se em Pittsburgh. Houve grandes manifestações e ações em NYC e Boston, e o Indymedia Houston proporcionou um segmento ao momento de ações no Texas. Em Porto Rico, centenas tomaram as ruas do Barrio Obrero. (Essa incríveis histórias são somente uma pequena amostra da cobertura do dia 10 de abril em todo o país; para mais informação vá ao Imc Local). O Congresso foi forçado a retirar a brutal legislação anti-imigrante, porém não são nem de longe as demandas do movimento, especialmente a anistia para todos. Tanto que o movimento para a justiça com os imigrantes segue crescendo, com mais ações planejadas nas próximas semanas: 15 de Abril é um dia de ação de estudantes, e 1º de Maio será um dia histórico de ação, com chamadas a uma greve geral, boicote, não compras ou vendas, greves, manifestações e ações nos centros financeiros e nas corporações anti-imigrantes em todo o país.

Fotos do A10 : 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 Vídeos: 1 | 2 | 3 | 4 Radio: WBAI

A10 Photos: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 Videos: 1 | 2 | 3 | 4 Radio: WBAI

Antecedentes: 25 de Março | 10 de Abril | Indymedia EUA | Campanha New American Opportunity (Campanha da Nova Oportunidade Americana) | Site do Immigrant Solidarity Network's No HR 4437 | National Council of La Raza (Concílio Nacional de Raza) | El Tecolote | AFSC | Bay Area Immigrant (Coalizão dos Direitos dos Imigrantes da Bay Area) | O filme "A Day Without a Mexican" | San Joaquin Valley Peace e Freedom Party | O filme "Un día sin mexicanos"

Próximas Ações: 15 de Abril | Informações legais para estudantes em manifestações | 1º de Maio: Chamada a ação | Chamada do IWW para a greve geral | Trabalhadores Imigrantes de Chicago em manifestação no dia de Maio | Baixe o pôster do 1º de Maio: .jpg (124kb) | .pdf (552kb) | Mais gráficos do 1º de Maio da SCAFLA.



Israel mata 16 palestinianos durante o fim-de-semana

Mauro, 12.04.2006 17:19

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Depois de uma semana de bombardeamentos, dia e noite, o exército israelita lançou ataques durante o fim-de-semana, os quais mataram 16 palestinianos, incluindo uma criança de oito anos e o seu pai, e uma menina de dez anos na sua própria casa.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha emitiu uma declaração de extrema preocupação acerca da deterioração da situação nos territórios palestinianos ocupados, particularmente na Faixa de Gaza – o sítio de maior aglomeração populacional da Terra.

O Primeiro Ministro israelita recentemente eleito, Ehud Olmert anunciou que Israel prosseguirá e tomará conta de 20% do território ocidental palestino e rodeará o resto com um Muro, e rejeitará a proposta de tréguas do Hamas.

Tabela actualizada das víctimas na Palestina | Relatório de Hebron | Audio: Gaza Talk Show | Audio: Relatório semanal do IMEMC | Relatório dos Arabs 48 (em árabe)



Between 500,000 and 1 Million Protest Anti-Immigrant Law in Downtown Los Angeles; Tens of Thousands of High School Students Walk-Out All Week; Demonstrations Across the Country as Senate Decides on Bill

Los Angeles and San Diego Indymedia, 30.03.2006 03:21

Between 500,000 and 1 million people filled the streets of downtown Los Angeles on March 25th, 2006 to protest the anti-immigrant bill HR4437, which would make all 12 million undocumented people in the United States into felons as well as anyone who aids undocumented people in anyway. Families, labor, civic, religious and political groups came out strong in a mostly Latino demonstration, overwhelming all the organizers' expectations. City officials are saying it is the largest demonstration they have ever seen. Both the Mayor and the Chief of police attended the demonstration and voiced opposition to the proposed anti-lmmigrant law which is to be debated in the Senate being debated right now. This march came in the wave of many other large demonstrations against this bill taking place in Chicago, Washington DC, Arizona, and and Missouri.

Reports with photos: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 Photos: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 Audio: 1 | 2 | 3 Video: 1 | 2 | 3 | 4

Following the massive LA demonstration, students took to the streets on March 27th, 28th, and 29th, where more than 25,000 students walked out of school in Los Angeles, San Diego, San Francisco, Houston, Utah, Michigan, and Nevada to protest anti-immigrant reform. Also in Puerto Rico, a U.S. occupied territory, demonstrations took place in Barrio Obrero.

San Diego: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 Los Angeles: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 Bay Area: 1 | 2 Central Coast Houston: 1 | 2

Past Story on Indymedia: Chicago and Philadelphia

Also this week, there were growing student protests in France, university occupations in Germany, massive strikes in Britain, high school student walk-outs in Aotearoa, and unprecedented mass protests in Belarus.



Minsk, 25 de Março de 2006: O Dia do Terror

bamzin, 30.03.2006 21:39

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

No último sábado, 25 de Março, uma nova onda de protestos invadiu Minsk e terminou em confronto brutal com a polícia.

A prisão de 460 pessoas no acampamento de protesto na manhã de sexta-feira irritou a população e fortaleceu a atmosfera de protesto geral na Belorússia. Neste sábado mais de 5000 pessoas se reuniram no centro de Minsk para a manifestação que tinha sido anunciada. Autoridades se oporam ao protesto com todas as forças policiais,serviços especiais e exército disponíveis.

Domingo: Hoje em Minsk, forças especiais do interior, o exército e a OMON dispersaram uma manifestação usando gás lacrimejante e armas desconhecidas. Há relatos de dezenas de pessoas espancadas e seriamente feridas.

As pessoas detidas foram transferidas para outros locais da Belorússia, visto que as prisões de Minsk estão lotadas.

Videos: 23-24.03.06 última noite do acampamento de protesto [mirror] | Sabado 25.03.06 antes do ataque: video-1 video-2 video-3 video-4 | Polícia ataca cidadãos - Dzerzhinskiy St, Sab 25.03.06: antes do ataque - ataque principal-1 - ataque principal-2 - granada de som
Mais notícias em belorusso e russo: IMC Belarus blog [1] blog [2] | Fotos: [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7]



Activistas do Indymedia da Bielorússia pedem solidariedade

agualva, 25.03.2006 16:55

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Segundo activistas do Indymedia da Bielorússia em Minsk, na última noite (24 de Março de 2006) cerca das 3.30 horas da madrugada, a OMON procedeu à destruição do acampamento montado no centro da cidade para protestar contra a fraude nas eleições da Bielorússia. 30 a 40 tendas foram arrasadas e cerca de 500 pessoas detidas. Entre as tendas destruídas estava a do Indymedia da Bielorússia e entre os presos estão muitos activistas radicais, tal como membros da banda anarco-punk Deviation (o cantor Stas Pochyobut) e os editores da banida revista satírica jornal anarquista Navinki. Estes detidos foram selvaticamente brutalizados. As prisões da policia na cidade estão já cheias de detidos e as pessoas presas na Rua Outubro foram levadas para locais desconhecidos fora da cidade, um deles disse que para a cidade de Zhodino. A sua localização exacta, as condições em que se encontram detidos e as acusações que sobre eles pendem são de momento desconhecidas. Os activistas do Indymedia estimam que milhares de pessoas foram detidas nos últimos 10 dias em toda a Bielorússia.

Os activistas bielorussos pedem solidariedade de todo o tipo e acções junto das embaixadas da Bielorússia [1] [2] em todo o mundo!

Siga nobelarus.indymedia.org as actualizações de última hora e os vídeos que vão ser difundidos.

Medias independentes: IMC Belarus - Navinki - a-systgroup.com | videos: [19.03.2006] Acção de solidariedade em Moscovo 24.03.2006 [1] [2] 25.03.2006 [3] [4] | pdf (Русский): Folheto de solidariedade A5 booklet [1] [2] | Embaixadas: [1] [2] Telefones esquadras/policia: (em inglês) (Русский)



Protestos Mundiais Anti-Guerra - Março de 2006

bamzin, 22.03.2006 18:41

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

O dia 18 de Março foi chamado pelo Forum Social Mundial como um Dia de Mobilização Internacional contra a guerra e ocupação no Iraque, marcando o seu terceiro aniversário. Centenas de manifestações acontecerem em todo o mundo, exigindo o fim da ocupação do Iraque e protestando contra um possível ataque no Irã.



El IV foro mundial del agua

22.03.2006 01:01

El IV Foro Mundial del Agua se llevará a cabo del 16 al 22 de marzo en la Ciudad de México. Bajo la consigna de dialogar sobre una mejor administración del agua entre agencias gubernamentales, ONGs cercanas a los gobiernos, compañías privadas y otras instituciones, los participantes del foro estarán discutiendo el cada vez más escazo futuro del agua potable y quien tiene acceso a ella. Esencialmente, 320 corporaciones, agencias de gobierno e instituciones financieras internacionales como el Banco Mundial estarán negociando la privatización de los mercados del agua pública y como abrirlos a los intereses de las empresas con fines de lucro.

Actualmente, un billón de personas en el mundo no tienen acceso al agua potable y los estimados calculan que para el año 2025, dos terceras partes de la población mundial estarán gravemente afectadas por la escacez de líquido. En respuesta al foro, la Sociedad Civil Mexicana está organizando un boicot contra el mismo y en su lugar, está participando en una semana de resistencia y educación. La Coalición de Organizaciones Mexicanas por el Derecho al Agua (COMDA), fue formada en 2005 para demandar el acceso al agua como un derecho humano garantizado y su manejo de manera democrática, sustentable, justa y equitativa.

El 16 de marzo una gran movilización de decenas de miles de personas se encontró con la provocación violenta de la policía. Vientisiete personas fueron arrestadas injustificadamente y liberadas más tarde, mientras decenas más fueron golpeados y hostigados. El Foro Internacional por la Defensa del Agua ha involucrado testimonios de personas de todo el mundo, foros indígenas y talleres sobre mejor organización de base para proteger el agua como un derecho humano. El Tribunal Latinoamericano del Agua ha estado también dirigiendo casos de gente luchando por el acceso al agua en países latinoamericanos durante la semana pasada.

Escuche los audio-reportes desde: Radio Zapote | Centro de Medios Libres | Radio Indymedia

Fotos e imágenes desde: 1 | 2

Los siguientes videos están disponibles en: 1 | 2 | 3 | 4 | 5

Para leer diversos reportes visite: Mexico Indymedia | Centro de Medios Libres | Radio Zapote | Radio Pacheco | Radio Sabotaje



Interesses comerciais vencem na MOP3

Indymedia Brasil, 22.03.2006 01:19

Após uma semana marcada pelo impasse da rotulagem de cargas transgênicas,a Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena (MOP3) alcançou o consenso pela proposta do contém transgênicos. O acordo foi atingido com a inclusão de um adendo proposto pelo México, que junto com Nova Zelândia e outros países estava bloqueando o avanço das negociações. O resultado pode ser considerado uma vitória das transnacionais de biotecnologia, pois o prazo para regulamentação foi estendido de quatro para seis anos, e foi eliminada a identificação obrigatória de exportações e importações de produtos geneticamente modificados no comércio entre países membros (que adotaram o Protocolo) e aqueles não-membros (que não adotaram o Protocolo). Desse modo o documento final permite importações de transgênicos originados de países não signatários do protocolo, como os EUA. Os EUA, apesar de não ter ratificado o protocolo, mandou uma forte delegação pra fazer o lobby de seus interesses.

Até 2012 a identificação de cargas transgênicas ou convencionais vai depender da capacidade técnica de cada país. Ao todo, serão seis anos para que a população global saiba com precisão o que circula pelas fronteiras nacionais. Segundo o protocolo as nações que ainda não estão capacitadas receberão ajuda para implementar as regras de rotulagem até o prazo estipulado. Para o Greenpeace, "a responsabilidade pelo pequeno avanço da MOP3 recai principalmente sobre as multinacionais de biotecnologia, o agronegócio e os países exportadores de transgênicos, como o Canadá, EUA e Argentina, que mais uma vez conseguiram sequestrar uma conferência ambiental da ONU e transformá-la no palco de negociações de interesses puramente comerciais".

O fracasso da MOP3 serviu como prévia do que vai ser a 8ª Reunião das Partes da Convenção de Diversidade Biológica (CDB COP8), que se reunirá também em Curitiba, de 20 a 31 de março. A CDB tem o mandato de ser um esforço de coordenação internacional para conservar e manejar a biodiversidade do planeta. Os pontos mais polêmicos da CDB COP8 serão: repartição de benefícios derivados do uso de recursos genéticos; continuidade ou não da moratória as sementes terminator; a conservação e uso da biodiversidade e a implementação dos Programas de Trabalho de Áreas Protegidas, Florestas e Biodiversidade Marinha e Costeira dentro dos prazos já previstos (2010 para florestas e 2012 para áreas marinhas e costeiras).

Enquanto as transnacionais de biotecnologia conseguem impor seus interesses, os cerca de mil agricultores/as da Via Campesina continuam a ocupar o campo experimental de transgênicos da Syngenta Seeds, em Santa Teresa do Oeste, PR. O campo é ilegal, pois encontra-se na zona de amortecimento do Parque do Iguaçú onde é proibido o plantio de transgênicos. Porém, o Juiz da 1ª Vara Cível de Cascavel, Fabrício Priotto Mussi, concedeu no dia 16 uma liminar de reintegração de posse favorável a Syngenta Seeds, determinando a retirada do movimento em cinco dias. O juiz estabeleceu uma multa diária de R$100,00 a cada membro da ocupação caso a ordem judicial não seja cumprida no prazo estabelecido. Mesmo assim os agricultores decidiram permanecer até o governo federal encerrar as atividades da empresa.

[LEIA MAIS]: Acordo com o México possibilita consenso sobre o "contém" | Terminator, a próxima batalha em Curitiba | Indecisão na MOP 3: secretário executivo antecipa impasse entre os países | ritual de abertura do Fórum Internacional Indígena | ritual de abertura do Fórum internacional indígena II | Batalha na preservação da Floresta com Araucária

Editoriais Anteriores:: Três Países Bloqueiam a MOP3 | Brasil defende rotulagem, mas biossegurança não está garantida | Expotrade impede venda de refeição orgânica | Via Campesina pressiona governo brasileiro na abertura da Conferência da ONU | Toma forma a Convenção Paralela da Via Campesina | Convenção mundial discutirá biossegurança em Curitiba

Sites Relacionados:: http://biotech.indymedia.org | http://www.cop8.org.br | http://www.iisd.ca | http://www.biodiv.org | http://www.cdb.gov.br | http://www.fboms.org.br



Mais de um milhão na luta estudantil contra o CPE

agualva, 20.03.2006 18:28

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Desde o inicio de Março protestos, ocupações e acções directas contra a nova lei do emprego CPE tem aumentado em França, com estudantes das universidades e escolas a liderar a dissidência. Estações de comboio foram bloqueadas, aeroportos perturbados e mais de dois terços das universidades francesas foram ocupadas ou perturbadas, assim como muitas escolas. Enfrentamentos com a policia ocorreram um pouco por todo o país.

Na Quinta-feira, dia 16 de Março para cima de 300.000 pessoas tomaram parte nos protestos crescentes por toda a França [report and pics] sendo novas universidades ocupadas e mais estradas bloqueadas, não escapando mesmo a sede do município de Rennes que foi também ocupada. Em Paris mais de 120.000 pessoas protestaram [reportagem e fotos | gallery] tendo-se seguido confrontos com a polícia que usou gás lacrimogéneo, balas de borracha e canhões de água [reportagem e fotos | Galeria]. Cerca de 150 prisões foram feitas em Paris subindo o total para cerca de 300 detenções e mais de 40 policias ficaram feridos. (Veja também ocupação da Universidade reportagem e fotos).

Muito divulgado internacionalmente foi a ocupação e violenta expulsão pela policia anti-motim da Universidade da Sorbonne em Paris no Sábado dia 10 de Março [Video | Reportagem + Fotos | Galeria 1 + 2]. Na Quinta-feira, dia 14 os protestos subiram de tom durante o Dia de Acção Estudantil com milhares de estudantes tomando parte em ocupações e bloqueios [reportagem e fotos | Galeria] assim como nas lutas de rua à volta da Sorbonne [Galeria].

O CPE é um novo contrato de emprego para entrar em funções em Abril. O CPE irá aplicar-se a pessoas com menos de 26 anos e prevê um período de experiência de dois anos, durante o qual, pode haver despedimento sem qualquer razão ou fundamento. Os estudantes e trabalhadores queixam-se de este apenas servir para aumentar a precaridade em França, onde o desemprego atinge já os 10% e sobe até aos 50% em algumas áreas.

Veja outras reportagens [1 | 2 | 3 | 4 ] Editoriais mais recentes no IMC Alemanha | Polónia | 22 de Março Reportagem Londres: assunto CPE | STOPCPE

Noticias de última hora nos IMC’s franceses: Paris | Lille | Toulouse | Marseilha | Nantes | Liege | Auvergne | Grenoble and Libcom Blog



Veículo Policial espalha terror nas favelas do Rio de Janeiro.

17.03.2006 22:40

Diversas organizações sociais estão organizando uma campanha contra o uso do "Caveirão" pela Polícia Militar do Rio de janeiro. "Caveirão" é o nome de veículos blindados e fortemente armados que entram nas favelas e áreas pobres da cidade com o intuito de "combater o tráfico de drogas". Mas, de acordo com os moradores e moradoras e os organizadores da campanha, "os métodos de ação do Caveirão são para implantar o medo, não para garantir segurança". Os policiais dentro do Caveirão podem efetuar disparos e intimidar a população sem serem identificados, além de relatos de que os alto-falantes do veículo assustam e ofendem os moradores e moradoras das favelas. Há relatos, inclusive, de que o Caveirão desfila pelas comunidades com corpos de jovens assassinados presos nos ganchos do veículo.

A discussão entre os formuladores de política de segurança pública chega ao ponto de que o Caveirão é ainda muito "civil" para áreas cada vez mais "militarizadas" (leia mais aqui). Para os organizadores da campanha contra o Caveirão, o argumento vai justamente pela contramão: "Aceitar o uso do Caveirão é aceitar o discurso de que as comunidades vivem uma 'situação de guerra'. Esse argumento é a principal desculpa utilizada pelo governo e pela polícia para justificar as execuções sumárias, tiroteios indiscriminados e outros abusos cometidos por forças policiais nas favelas e comunidades pobres." Nas últimas semanas, mais de R$7 milhões foram gastos em duas aeronaves pelo Ministério da Justiça e pelo governo do Estado para fortalecer a Polícia Militar do Rio de Janeiro.

No dia 13/03, segunda-feira, aconteceu no Rio de Janeiro o lançamento da campanha contra o Caveirão. Das 15h até às 19h, no centro da cidade, os organizadores da campanha, entre moradores/as das favelas e militantes de movimentos sociais, colheram assinaturas, divulgaram a campanha, deram seus depoimentos, além do hiphop e da percussão no meio da Cinelândia. Durante toda a tarde, policiais acompanharam de perto a manifestação, mas sem importuná-la; ainda assim, um policial disfarçado filmou o ato durante parte da tarde. A campanha também foi lançada, simultaneamente, na Europa, pela Anistia Internacional.

Artigo completo | Indymedia Brasil



Bio-segurança: Rotular ou não rotular

agualva, 15.03.2006 21:12

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Na Segunda-feira, 13 de Março iniciou-se a Terceira Conferência sobre o Protocolo de Bio-segurança (MOP3) em Curitiba no Brasil. O Protocolo de Bio-segurança é o único tratado internacional que coloca regulamentos obrigatórios para o comércio de OGM’s. (antecedentes do encontro COP8/MOP3)
O assunto principal deste encontro é a questão da rotulagem dos OGM’s (Artigo 18). Quase todos os países que assinaram o protocolo de bio-segurança são a favor de uma rotulagem clara que dê informações sobre a presença de OGM’s nas embalagens. A Indústria e os países que não assinaram o Protocolo no entanto apenas pretendem uma rotulagem vaga, dizendo apenas que o produto «pode conter» OGM’s- sem todavia indicarem qual o tipo e percentagem de Organismos Modificados que o mesmo possa conter.

Apenas dois países neste encontro MOP3 estão a favor de uma rotulagem vaga que pode tornar o protocolo de bio-segurança ineficaz. O Presidente Lula do Brasil alterou a sua posição deixando de ser um opositor aos OGM’s e passou a favorece-los e, o governo brasileiro está tão dividido sobre o assunto que o Ministro do Ambiente não compareceu à abertura do encontro (video), permanecendo em Brasília para discutir com Lula a posição oficial que o Brasil deve adoptar. O Brasil preside a este encontro e tem portanto uma maior influência nas decisões que vão ser tomadas. De momento parece que o Brasil vai pugnar por uma rotulagem estrita (video).
A Nova Zelândia no entanto parece estar decidida a minar o consenso e bloquear a implementação do Protocolo de Bio-segurança. (Antecendentes e apelo à acção)

Enquanto os 5000 delegados discutem os textos oficiais, espera-se que os movimentos de protesto contra os OGM’s aumentem de intensidade. Para um acampamento conjunto do Via Campesina e do MST – a 20km do local da conferência – são esperados 6000 participantes. Outras organizações promovem um «Fórum Global da Sociedade Civil» alternativo nas imediações da encontro. Na semana que antecedeu o encontro realizou-se uma conferência sobre a reforma agrária em Porto Alegre, que - entre outras acções- levou a cabo a destruição de um laboratório de investigação de eucaliptos - uma árvore responsável por outra forma destrutiva de monocultura. Este encontro MOP3 (13-21 Março) será seguido pelo encontro COP8 sobre Biodiversidade onde o tema principal serão os esforços do Canadá, Reino Unido, Monsanto e outros para introduzirem as sementes terminator.

[ Bio-segurança: vídeos & reportagens em Biotrade Watch | Biotech IMC | GMWatch| Amigos da Terra Internacional | blogs: CMI Curitiba | blog estudantil | Noticias Protocolo de Bio-segurança ]
[ Biodiversidade: Apelo à Acção contra a Nova Zelândia/



Si, se puede! - Chicago Witnesses Massive Protest for Immigrant Rights

14.03.2006 16:55

On Friday, March 10, 2006 Chicago’s downtown was paralyzed by an immigrant rights march estimated at more than 100,000 people. The march, organized by a citywide coalition of community, labor and immigrant rights groups, was called to protest the punitive enforcement provisions of the anti-immigrant Sensenbrenner Bill.

Protesters carried hand-lettered signs saying "No Human Being is Illegal", "We are America," "My Mexican immigrant son died in Iraq," "Don't deport my parents,""I'm a dishwasher - not a criminal," and "Si, se puede!" - "Yes We Can!" The crowd stretched two and half miles, from Union Park on the West Side to their rally destination in Federal Plaza.

The march was one of the largest street protests Chicago has ever seen — exceeding the historic May 1, 1886 march down Michigan Ave. by 80,000 largely immigrant workers demanding an eight-hour workday. Read more | Democracy Now! coverage

Indymedia reports: [ 1 | 2 | 3 ] Photos: [ 1 | 2 ]
Other resources: Pueblo Sin Fronteras | Centro Romero | Illinois Coalition for Immigrant and Refugee Rights

On Tuesday Feb 14th immigrants across Philadelphia and regionally staged a walkout to protest bill HR 4437 as part of A Day Without An Immigrant. The bill threatens to criminalize those assisting undocumented immigrants as "alien smugglers" and to turn undocumented status from a civil violation to a federal aggravated felony.o

For more information on pending immigration legislation, see The National Immigration Law Forum | American Immgration Lawyers Association | American Immigration Law Foundation | National Immigration Project |Immigrant Legal Resource Center

For information on border activism in general, see deletetheborder.org| No Border Network | O.R.G.A.N.I.C. Collective | No More Deaths | Immigrant Solidarity Network



Autonomous Village Under Siege by Korean Troops

Rhizome Collective // Daechuri English Media Collective, 08.03.2006 17:06

On March 6th, 2006, South Korean military riot police began an attack on the autonomous village of Daechuri. For over four years, Daechuri and the nearby community of Doduri have defiantly resisted the siezure of their homes and fields for the expansion of an United States Army base. Barracaded inside the elementary school, rice farmers, elderly residents, and peace activists are holding out against sporadic, sometimes intense attacks by Korea's elite military police force. International support is needed to pressure the Korean government to halt its brutal assault.

Utilizing tractors as road blocks, human shields chained to the school gates, and the courage of a people fighting for their homes and lives, they have, so far, resisted wave after wave of attacks by hundreds of military riot police. Residents and peace activists have suffered beatings and arrests, while inside the school, activists upload news updates, video of the attacks, and make pleas for immediate aid. They are exhausted and dehydrated, and in need of reinforcements and supplies. International observers, journalists, and anyone with a phone or a computer can take action now.

The expansion of U.S. Army base Camp Humphreys (K-6) is part of the Global Repositioning Plan, first outlined by the Project for a New American Century (PNAC) and later adopted as the Bush Administration's strategy for consolidating its military hegemony over Northeast Asia.

Opposition to the expansion of the base has come from many diverse currents within Korean society. Apart from community displacement, many have also highlighted issues including the devastating environmental impact of US bases, the violent crimes committed by US troops stationed on the peninsula, the issue of human trafficking and forced prostitution which surrounds the bases, and the potential for a new arms race that could destabilize all of Northeast Asia.

Future Updates: Antigizi | SavePTfarmers | savePTfarmers email | GreenKorea.org | PeaceKorea.org | Peoples Tribunal | Sarangbang | Anarclan
See Also Video [1] [2] | Portland Indymedia: Story | Audio



Mais um Assassinato Policial?

agualva, 03.03.2006 18:48

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
A 24 de Setembro de 2005 Federico Aldrovandi, um rapaz de 18 anos de idade, morreu às mãos da policia em Ferrara na Itália. A policia nega e diz que Federico morreu de overdose de droga, mas as noticias começaram a chegar graças ao blog da sua família. Isto pode parecer uma história banal, mas é apenas mais um sinal da atitude brutal da policia italiana contra quem quer que seja que não corresponda ao seu padrão de normalidade, podem ser emigrantes, dissidentes ou apenas pessoas jovens que caminham sozinhas à noite.



US/Israel plan nuclear attack on Iran to control oil and defend the dollar

02.03.2006 02:45

US and Israeli governments plan a military attack against Iran, possibly using nuclear bombs [1] [2] [3] [4] [5], possibly this month (March 2006) for reasons including: stopping the planned opening of an international oil-petrochemical-gas stock exchange for oil trade in euros [1] [2] [3] [4] [5]; control of Khuzestan province [1] [2] [3] where most Iranian oil lies, on the border with Iraq (US war plan OPLAN 1002-04); to distract attention from USA domestic political problems; and for Christian fundamentalist reasons - Bush says he was just following God's orders when he ordered the attacks on Afghanistan and Iraq.

The official excuse for the attack is the possible nuclear weapons program in Iran: ex-CIA agents Paul Pillar and Ellen Laipson as well as retired United Nations weapons inspector Hans Blix state that if Iran were really trying to build atom bombs, then the most effective way to stop this would be a guarantee from the US and Israel not to attack Iran.

Key facts:

info: iranbodycount | wikipedia | Iranian blogs | Workers' Left Unity Iran
action: campaigniran | defendiran | stopwaroniran | medialens.org | StopWar.org.uk | Global Days of Action 18-20 March



Luta dos imigrantes culmina com grande manifestação na Bélgica

agualva, 01.03.2006 20:29

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Uma grande manifestação de mais de 11.000 pessoas decorreu em Bruxelas, no dia 25 de Fevereiro, para pedir a legalização dos cerca de 150.000 imigrantes que vivem na Bélgica e o fim das rusgas, detenções e deportações [Mais: 1|Fotos: 1|2|3]. A manifestação é o culminar de anos de luta (desde 1970) e auto organização dos imigrantes para reclamarem os seus direitos: no principio de 2005 a Igreja dos Mínimos foi ocupada e em Outubro de 2005 iniciou-se a ocupação da Igreja de São Bonifácio em Bruxelas que ainda hoje continua [Mais: 1, 2| Video: 1].




<<<< You are on page 78 of 94 pages >>>>
Jump to page: