feature archive

<<<< You are on page 82 of 94 pages >>>>
Jump to page:

Jornalista Armênio Hrant Dink é assassinado

alexzapa, 29.01.2007 15:25

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Mais de 100,000 pessoas estiveram presente no protesto e funeral de terça-feira.

Armênio naturalizado cidadão turco e jornalista Hrant Dink, editor executivo do Jornal AGOS, foi baleado e morto na sexta, 19 de Janeiro em frente ao edifício do jornal. O(s) assassino(os) fugiram depois da morte. AGOS é uma publicação semanal na Turquia e Armênia. Nós, voluntários do Indymedia Istanbul repudiamos esse ataque e o ódio que está se tentando mover entre as nações, nós gritamos mais uma vez: “Vida longa à irmandade dos homens”.

Depois do assassinato, um grupo de pessoas se reuniram em frente a sede do jornal e começaram a marchar para a praça Taksim com frases de ordem. Depois, na mesma tarde, 10,000 pessoas prosseguiram da Praça Taksim para o Jornal AGOS em Şişli segurando uma faixa em que se lia: “Todos somos Hrant Dink”. Nos sinais da foto se lia: “Nós somos todos Armênios; somos todos Hrant” em Turco e Armênio.

O funeral, ocorrido em 23 de Janeiro, juntou mais de 100,000 pessoas. A marcha começou no escritório do jornal e procedeu para a Igreja Meryemana em Kumkapi. Depois da cerimônia do funeral na igreja, Hrant Dink foi enterrado no Cemitério Armênio Balıklı. Cobertura contínua do IMC-Istanbul e IMC-Cyprus ||| Vídeo do Funeral ||| Testemunhas: Olhos de Sera ~ Hrant Dink vive | "Eu perdi um amigo ontem..."



Anarquistas ainda em greve de fome

Natasha Guerrize, 30.01.2007 01:03

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Vinte pessoas foram presas após as manifestações ocorridas durante a marcha do Fórum Social Europeu em Atenas, no dia 6 de Maio de 2006. Dezessete dos manifestantes foram levados e esperam o julgamento de diversas ações criminosas. Três deles estão detidos desde maio do mesmo ano, enquanto dois dos detidos entraram em greve de fome por mais de um mês, em protesto ao seu aprisionamento durante os 8 meses. De acordo com suas denúncias, eles foram presos muito depois das manifestações, sem haver nenhuma evidência comprovada, exceto de testemunhos incertos de alguns policiais. Um dos três manifestantes, Tarasio Zadarozni, é um imigrante anarquista de procedência ucraniana. Este começou a greve de fome em 29/11, e Gerasimos Kyriakopoulos, outro manifestante detido, em 15/12. Devido aos problemas de saúde, eles foram levados inicialmente para o hospital carcerário em meados de dezembro, sendo transferidos ao Hospital Geral de Nikaea no começo de janeiro. Estado de saúde atual (laudo): Ambos sofrem de hipertensão ortostática; Zadarozni já perdeu 15 quilos, apresenta atrofia muscular e taquicardia, enquanto Kyriakopoulos (que começou a greve de fome mesmo com seus problemas de saúde já mencionados), já perdeu 5 quilos, apresenta sangramento nasal e sinais de problemas na vesícula biliar devido ao jejum.

Cartas escritas na prisão: Tarasios' Zadorozni [en], [el], Gerasimos' Kyriakopoulos [en], [fr], [el]. 17/1: Carta dos presos desde a estadia no Hospital Geral de Nikaea:[en], [es], [el]



Convergência do Indymedia em Nairobi (FSM-2007)

20.01.2007 19:51

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Inúmeros voluntários do Centro de Mídia Independente viajam este mês para Nairobi, Kenya este mês. para formar uma base de suporte midiático durante o Fórum Social Mundial (jan, 20/25). Ativistas de mídia da África e outros lugares desenvolverão trabalhos coletivos de mídia e oficinas, além da construção de duas Rádios FM.

Haverá a oportunidade de espalhar a discussão com o projeto Global Listening Nodes: uma proposta de reunir conteúdos de diferentes lugares e meios alternativos que não estarão em Nairobi combinando com o conteúdo de quem está no Kenya. Trata-se de um trabalho colaborativo físico e virtual, trazendo diversos grupos e propostas como nós locais ao redor do planeta para que posssam ouvir e participar das discussões em tempo real.

A Jornada do FSM com o tempo passou a sofrer críticas , pois a Carta de Princípios que fundamenta o processo do Fórum nao aderiu às alternativas que foram sendo criadas, como aconteceu com o Fórum Europeu de 2004 em Londres, por exemplo. A frustração também foi grande durante todo o processo do Fórum da Argentina de 2002 porque as perspectivas mais radicais não foram incluídas no debate do Fórum. Contudo, neste e no ano passado, CMIstas Africanos estão trabalhando para transformar a história dos Fóruns e estão buscando força entre ativistas do mundo inteiro.

Links: FSM - Site Oficial | FSM2007 Convergência CMI | Kenya Indymedia | Global Listenin Nodes | Notícias Internacionais: IPS



Enfrentamentos nas ruas de Cochabamba deixam mortos e prefeito abandona a cidade

CMI Brasil, 14.01.2007 04:08

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

As ruas de Cochabamba foram novamente cenário de enfrentamentos entre movimentos sociais e o Comitê Cívico em conjunto com os Jovens pela Democracia, forças apoiadoras do prefeito. Camponeses, indígenas, cocaleros e grupos independentes se manifestavam desde o início da semana pela renúncia do prefeito Manfred Reyes Vila. E após uma violenta repressão em uma marcha na segunda-feira, os movimentos permaneciam na praça central (14 de setembro) em vigília e também em outras praças na região central.

Nessa quinta-feira (11), uma marcha dos defensores do prefeito furou o bloqueio da polícia no centro da cidade e golpeou dezenas de manifestantes dos movimentos sociais com tacos de baseball, paus, armas de fogo e facas em uma tentativa de retomar o centro da cidade, a praça 14 de setembro - local da sede da prefeitura. A polícia avançou com gás lacrimogênio, provocando correria e havendo assim o enfrentamento. Há um número crescente de pessoas feridas. No momento contam cerca de 115 feridos e dois mortos: o cocalero Nicomedes Gutiérrez, da Central Chimore, morto por um tiro e Cristian Urresty, do grupo Jovens pela Democracia, morto por estrangulamento.

Manfred, o prefeito, abandonou Cochabamba na manhã desse dia, quando se anunciava os enfrentamentos, e se refugiou em um hotel em La Paz. Nessa tarde, durante os confrontos, foi realizada uma reunião com os prefeitos aliados das cidades Benji, Tarija, Santa Cruz, La Paz e Cochabamba. Eles acordaram em não estabelecer diálogo com o governo federal e que fariam ações em solidariedade ao prefeito cochabambino. A noite, o governo federal anunciou que no enfrentamento foram detidas três pessoas com armas de fogo, todas elas ligadas ao Comitê Cívico de Cochabamba e que a "intolerância e falta de negociações" por parte do Manfred resultaram nesse grave conflito social. Os movimentos sociais convocaram novas marchas para sexta-feira (12) na praça central de Cochabamba.

fotos:: I | II | III | IV

Indymedia Bolívia | Up Side Down World



Abandonados no deserto: Milhares de refugiados presos e deportados em Marrocos

agualva, 03.01.2007 02:45

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Mais de 250 emigrantes da África sub-sahariana foram detidos pelas autoridades marroquinas em rusgas que ocorreram em diferentes locais da cidade de Rabat no dia 23 de Dezembro de 2006. Entre os detidos estavam mulheres, crianças e refugiados. Seis autocarros escoltados pelo exército transportaram-nos para Oujda na fronteira argelina. Cerca das 11 horas da noite, os autocarros atravessaram a fronteira em três pontos distintos e os emigrantes foram deixados no meio de uma terra de ninguém. [veja abaixo os pormenores]. Barragens da Policia Especial impediram o auxílio a partir de Oujda e os telemóveis não funcionavam ali logo os emigrantes não puderam ser contactados. Existem receios que estas detenções sejam apenas o começo de uma campanha de deportação em massa para a Argélia, ou mesmo para o deserto semelhante à que aconteceu em Setembro-Outubro de 2005.

No dia de Natal, mais dois autocarros chegaram a Oujda, à esquadra de policia, com mais emigrantes sub-saharianos procedentes de Nador (outra cidade de Marrocos). Isto apenas confirma que esta operação é de âmbito nacional e foi pré-planeada pelas autoridades para decorrer durante um período em que a maioria dos activistas dos direitos humanos se encontram em férias

Relatórios: en e fr | fr e en no sumário [pdf] | es | fr | de | it | Posição da Attac Marrocos [fr] | Posição da CEAR [pdf] | conferência de imprensa do presidente do Sub-Comité de Direitos Humanos do Parlamento Europeu [fr, pdf]

Relacionados: Protesto Mundial Contra os Controles de Emigração | UE/Marrocos: Deportação para a morte [de] | Caravana Europeia contra o Cerco | Parem a recolonização do Mediterrâneo! | Semana de acção contra a fronteira Greco-Búlgara | Links: Estrecho Indymedia | No Racism



Encontro dos Zapatistas com a Comunidade Internacional

agualva, 02.01.2007 02:55

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Os Povos Zapatistas organizaram um Encontro com os Povos do Mundo entre 30 de Dezembro a 2 de Janeiro em Oventik, Território Libertado (Chiapas) do México.

O EZLN, Exército Nacional de Libertação Zapatista deu as boas vindas aos milhares de visitantes que celebraram em Oventik o novo ano (e o 13º aniversário do levantamento armado) com workshops e reuniões destinados, nas palavras do Tenente Coronel Insurgente Moisés, a falar das experiências que nós tivemos estes últimos anos com os nossos governos autónomos, os desafios e os problemas que enfrentamos construindo este projecto anticapitalista e tentámos com humildade e respeito, responder, falar e trocar ideias sobre tudo, partilhar os nossos erros e embaraços e também as nossas modestas conquistas.'

Um aspecto importante deste encontro foi o workshop em Autonomia e Outro Governo com as cinco Juntas de Bom Governo sobre os seguintes temas: O que significa governar autonomamente? Quais são os desafios? O que significa autonomia para os Zapatistas? O que significa comandar pela obediência? Desafios e horizontes.

Ainda nas palavras de Moisés, 'É tempo de nos organizarmos a nós próprios e ver como o fazer em conjunto, nós confrontaremos o demónio que é o neoliberalismo que ataca a humanidade.'

Mais informação dos média independentes sobre os quarto dias deste Encontro está disponível em Chiapas Indymedia, Enlace Zapatista and La Zezta Internazional.

Audio: Oiça a transmissão ao vivo do Encontro

Da rede de noticias: Preparação e Calendário (en) | Boletim Informativo (es) e (en) | Hino Zapatista | Erase una vez una pajarita... | Palavras de boas vindas da Junta de Bom Governo do Caracol de Oventic | Discurso Inaugural do: Comandante Javier, Comandante Felipe and Tenente Coronel Moisés | Fotografias: 1,



After Nally's Acquittal: Vigil for Travellers' Rights

23.12.2006 22:07

Images of Tuesday's vigil at the steps of the Four Courts "If Pádraig Nally had been convicted and received a suspended sentence at least that would have been some acknowledgment of the hurt inflicted on the extended Ward family, and indeed the Traveller community. But Padraig Nally's acquittal means that no wrong or hurt has been done and that is just not acceptable. We are angry and we have every right to be." -Martin Collins, Pavee Point

For more information, see the Full story on Indymedia Ireland



Navajo Police Attempt To Dismantle Desert Rock Barricades

marco, 22.12.2006 03:30

Sithe Global & DPA are proposing to build the Desert Rock power plant , a 1,500 MW Coal Fired plant in the Four Corners area on the Navajo Reservation. This is an area already polluted by 2 other major coal power plants ( Four Corners and San Juan power plants ). Local Navajo residence and community members oppose this project for many harmful reasons!! This Desert Rock power plant is still in the environmental review process and has NOT yet been permitted.

However, Desert Rock company trucks have began moving onto the backyard of Alice Gilmore, an elderly Navajo woman, and her family on Wednesday to begin drilling efforts. Desert Rock officials and police have not shown any documents or permits to the local residents stating their purpose or permission to be there. Dine supporters and community members have joined Alice and her family to blockade the road. They are elderly women and youth, and they have been camped out on the road over night since Tuesday! Desert Rock trucks have repeatedly rushed them and have almost run-over people a number of times as they attempt to get by. Desert Rock power company is violating the lease rights of the local Navajo residences and is harassing elderly Navajo women and youth! This is an urgent time and support is needed!!!

UPDATE: Navajo elderly served with restraining orders | More Updates from Desert-Rock-Blog.com | Initial AZ-IMC Newswire Story | Infoshop.Org Story | UN Observer Account | Video: Making A Stand | Audio From Firstvoicesradio.org Interview by First People's Radio



Povo de Oaxaca toma as ruas novamente - mobilizações internacionais para 22 dez

alexzapa, indy brasil, 19.12.2006 12:54

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Em desafio à severa repressão feita pelas autoridades federais e estatais, centenas de milhares de Oaxaquenhos tomaram as ruas no 10 de Dez para o dia Internacional de ação por Oaxaca e a Oitava Megamarcha. Exigindo a liberdade de 138 presos políticos, viva apresentação dos indivíduos desaparecidos, a imediata saída das forças policiais federais e do governador Ulises Ruiz de Oaxaca, 385.000 pessoas preencheram as principais avenidas da cidade de Oaxaca.

Atualizações: APPO | CMI Chiapas | CML | Indybay | CMI NYC | El Enemigo Común

O EZLN, no qual tem acabado de terminar sua caminhada nacional de escuta, fez um chamado para mobilizações internacionais em solidariedade a Oaxaca on 22 Dez



Mais de 300 detidos em defesa da Ungdomshuset, Copenhagen

alexzapa, 19.12.2006 12:09

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Mais de 300 manifestantes foram detidos e pelo menos dois ativistas seriamente feridos na capital Danish, no sábado, depois de violentos choques entre a polícia e jovens que estavam protestando contra o fechamento planejado do centro de juventude Ungdomshuset na Jagtev 69. Veja as últimas notícias em Indymedia Denmark.

Mais informação: Ungdomshuset.Info (da) (Versão Inglês) | Ungdomshuset na Wikipedia | Ungdomshuset no Infoshop | Información Legal | Info Legal 3/1/07 | Protesta de Solidaridad no Barcelona, 12/1/07



250 dias de Greve de Fome de Behiç Aşçı's

alexzapa, indymedia brasil, 17.12.2006 14:45

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Um advogado, Behiç Aşçı, protestando contra o silêncio de estado como de ONG´s e o público em geral pode morrer dentro de pouco tempo por sua greve de fome. Todos nós que estivemos em silência carregaremos com culpa sua morte se Behiç Aşçı passar a ser um das mais de 120 pessoas que morreram/foram assassinadas em protesto pelas prisões tipo F desde 1996 na Turquia. O dia 13 de dezembro foi o dia 250 da greve de fome de Behiç Aşçı, e não queremos que esse belo homem faleça.

Cobertura completa do Indymedia Istanbul



After occupation, brazilian indigenous get hearing with Justice Minister

14.12.2006 02:43

On tuesday morning (12th), around 200 indigenous, Tupinikim and Guarani, from Aracruz city, in Espirito Santo State (ES), occupied the facilities of the Aracruz Cellulose harbour. Their aim is to put pressure on the brazilian government so that it fulfils its constitutional duty and mark out, once and for all, these peoples’ traditional lands. It comes to 11.009 hectares of land invaded by Aracruz Celulose. Many social organizations and movements, as MST (Landless Rural Workers Movement) are backing the initiative.

A comission of Indian chiefs and Tupinikim and Guarani leadership evaluates that the deadlines put up by the government itself in a recent meeting are not being kept, and that actions like these became necessary in order to put pressure on their procedures.

On the the afternoon of Wednesday (13th), Brazilian native communities and Guarani left the the multinational harbour voluntarily. After a meeting with representatives of the FUNAI, the indigenous have accepted the proposal of have a hearing in Brasilia, next monday (18th) morning, with the Minister of Justice, Márcio Thomas Thick.

Groups in support of the indigenous struggle in Germany, Netherlands, United States and Norway are organizing protests on the brazilian embassies, so that Tupinikim and Guarani territories in Aracruz district get demarked.

Previous Features: Aracruz uses media and billboards to get people against indigenous | Aracruz Cellulose is accused of racism by Tupiniquins and Guaranis, brazilian indigenous of Espirito Santo | Aracruz logs Atlantic Forest revegetation area in Espírito Santo

Photos of the occupation: 1 | 2
Photos of the protest around the world

For more information check out Indymedia Brasil



Human Rights Day: a Time to Take Stock

13.12.2006 23:00

Greek Police look at a body's outline, a protest after a migrant's 11-22 death "Pinochet's greatest legacy may be the wake-up call ... he provides for dictators everywhere," said Jose Miguel Vivanco, Americas director at Human Rights Watch. Yet state violence in Chile continues with the December 7th police shooting of Mapuche comuneros, in which ten were wounded (es). Even as Human Rights Day was celebrated worldwide on December 10th, campaigns for public accountability must battle the growing "normalization" of torture.

Resources:

Detention Watch Network | Torture Abolition and Survivors Support Coalition International



Última e Melhor Oportunidade para Mumia Abu-Jamal, 25 anos depois

alexzapa, 09.12.2006 17:21

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Os grupos de apoio a Múmia organizam massivas manifestações na cidade de Filadélfia e em Nova Iorque para o 9 de Dezembro. Os julgamentos orais continuam a cada mês

O célebre réo da morte negro e periodista Mumia Abu-Jamal foi declarada culpado de haver matado o policial branco da Filadélfia Daniel Faulkner, em um julgamento em 1982 que Anistia Internacional estimou como injusto(ver informe).Seu casotem tomado agora o caminho mais rápido com julgamentos orais ao começo de cada mês. Apoiados pora NAACP, NLG, advogados do Reino Unido, e O Parlamento alemão,Os jornalistas da Filadélfia Linn Washington e Dave Lindorfftêm escrito de maneira otimista acerca da possibilidade de que haja umnovo jultamento para Abu-Jamal.Em abrilo apoio francês de sempre(fotos de 2005)continuou quandoo bairro pariense de St.Denis chamou a uma rua principal Mumia (ver video) e foi rapidamente condenado com resoluções governamentais nos EUA (arquivo em pdf), enquantoos meios de comunicação locais continuaram uma larga história de preconceitos .Em Novembro,Republicanos da Filadélfia(entrevista radiofónica) apresentaram cargas criminais contra St. Denis e Paris por 'glorificar' a um 'assassino de policial'. A rede de apoio a Abu-Jamal está organizando uma manifestação massiva no ajuntamento da Filadélfia e em Noba Iorque para o 9 de dezembro – o 25º aniversário da prisão de Abu-Jamal. Ademais, o autor alemão Michael Schiffmannacaba de publicar um novo livro sobre Abu-Jamal.

Links relacionados:Série de notícias de jornalistas do CMI de Filadelfia sobre Mumia | Transcrição do julgamento de Mumia(em um sitio anti-Mumia) | Mumia sobre Oaxaca | Novo artigo de investigação de Filadélfia | Nova entrevista de Linn Washington.



Um ano depois: contra o Medo Verde!

Bruno Parga, 09.12.2006 19:06

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
7 de dezembro marca o primeiro aniversário das primeiras prisões feitas pelo FBI na chamada "Operação Tiro pela Culatra", uma "geral" em vários Estados tendo como alvo ativistas ambientais radicais acusados de conspiração e vandalismo; há a ameaça de prisão perpétua. Este aumento na criminalização sistemática do dissenso vem sendo chamada de "Medo Verde" (Green Scare) devido a suas táticas que lembram os Medos Vermelhos do começo do século XX -- inclusive tribunais secretos, legislação especializada e agentes infiltrados. Hoje, pessoas em todo o mundo se organizarão e participarão em eventos educativos e protestos para gerar uma consciência sobre o Medo Verde e demonstrar solidariedade para com os afetados por ele. [Portland, Oregon | San Francisco e Fresno, Califórnia | Santa Cruz, Califórnia | Cidade de Nova York]

Reportagem de Worcester: o deputado McGovern se compromete a batalhar pela revogação da lei AETA
No dia 29 de novembro manifestantes em Worcester, Massachusetts conseguiram uma grande vitória na luta para defender as liberdades democráticas contra as táticas do Medo Verde. Dezenas de pessoas se reuniram em frente ao escritório do deputado federal James McGovern para protestar contra a "Lei do terrorismo contra empresas que utilizam animais" (AETA) -- uma lei aprovada no dia 27 que ameaça ativistas dos direitos dos animais com enormes multas e sentenças de prisão caso se envolvam em ações não-violentas de desobediência civil. Após ficar por cerca de uma hora e meia do lado de fora, o grupo entrou no escritório e entregou à equipe de McGovern uma carta, uma petição e uma proposta de lei revogatória. Então eles puderam falar com o deputado via telefone viva-voz. Em seguida, ele divulgou uma declaração concordando em continuar a dialogar com os ativistas acerca da AETA num encontro em janeiro e espera solucionar os problemas da lei. Leia mais no CMI Worcester. Mais reportagens sobre ações: Durban, África do Sul | Cidade de Nova York | Austin, Texas

Informações: cldc.org | olycivlib.org | O Verde é o novo Vermelho | Página-índice do CMI Portland sobre o Medo Verde | Rede de Apoio aos Prisioneiros pela Libertação da Terra | Rede Estadunidense de Apoio aos Prisioneiros pela Libertação da Terra | Jeff "Free" Luers | Medo Verde - greenscare.org | A Caça às Bruxas do FBI - fbiwitchhunt.com

Alguns ativistas de não-violência que são réus do Medo Verde e têm páginas Web: Briana Waters | Daniel McGowan | Eric McDavid | Josh Wolf | Rod Coronado | SHAC 7



Luta por Liberdade dos Mochileiro de Sagada Continua e se Intensifica

Vitor Araujo, 05.12.2006 19:45

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
10 (dez) meses se passaram desde que os vojens mochileiros e voluntários da organização Food Not Bombs foram detidos ilegalmente, torturados, encarceirados e acusados por crimes forjados pelas autoridades filipinas. A luta por sua libertação continua, com uma pequena vitória que ajudou 2 dos 11 detidos a sair da cadeia por serem menores de idade. Mas a luta vai continuar até que todos e cada um deles seja libertado.

Em 17 e 20 de novembro, foi realizado um Dia de Ação Internacional pela soltura uncondicional dos mochileiros detidos ilegalmente em Sagada, tendo como alvo embaixadas e consulados filipinos.

Em Tóquio, jovens ativistas autônomos exigiram: “Libertem os 9 de Sagada” e “Parem de Oprimir os Ativistas Políticos”.[ Leia a história aqui | e aqui ]

Em Wellington, Nova Zelândia, “os manifestantes entregaram a um funcionário da embaixada filipina uma carta convocando o governo a libertar imediatamente os 11 de Sagada.”
[ Fotos e história aqui ]

Em Brighton, Inglaterra, "cerca de uma dúzia de pessoas visitou a embaixada filipina nos Jardins do Palácio de Kensington para dar destaque ao caso dos 11 de Sagada".
[ Leia aqui ]

Em Berlim, Alemanha, “algumas pessoas atacaram o embaixador filipino em Berlim com tinta, e picharam o seguinte slogan: liberdade para os 11 de Sagada”.
[ Leia aqui ]

Em Baguio, Filipinas, “amigos e familiares dos nove que ainda sofrem na Penitenciária da Provincia de Benguet em La Trinidad se reuniram em frente ao Tribunal de Justiça de Baguio para protestar e reafirmar o apoio a seus colegas.”
[ Leia aqui ]

No ciberespaço, uma Ação Direta on-line, mais conhecida como "Ocupação Virtual" tem mais uma vez como alvo o site da Polícia Nacional Filipina.
[ Entre aqui | e aqui | Mídia Autônoma de Manila ]

Para oferecer apoio internacional



Forças de Camarões assassinam de novo estudantes da Ambazônia

alexzapa, 10.12.2006 17:47

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Exatamente um ano e seis meses depois de as forças de Camarões dispararem e matarem três estudantes da Universidade de Buea-Ambazonia (UB) em uma tentativa de parar as prolongadas manifestações de estudantes protestando por um aumento em investimentos escolares, a falta de coisas básicas como fontes para beber na escola e direito a organizar uma União Estudantil no campus; a polícia de Camarões abriu fogo de novo contra os estudantes da UB no dia 29 de Novembro, matando dois estudantes (1 | 2) e ferindo outros três.

Os estudantes haviam começado uma ação de protesto no dia 27 de Novembro de 2006 pelos resultados de uma exame de entrada na recém aberta Faculdade de Medicina na UB. Funcionários do Ministério de Educação Superior de Camarões haviam incluído por força os nomes de 26 estudantes de Camarões franceses à lista original de 127 estudantes que haviam passado no exame de entrada, e que se supunha que iam participar da parte oral deste.

Photos on Ambazonia Indymedia



Comemoração da revolta estudantil grega de 1973 atacada pela policia

Luis, 08.12.2006 01:45

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->

Anualmente, a 17 de Novembro é comemorada a revolta estudantil de 1973 contra a junta militar na Grecia. Nas semanas antecedentes ás manifestações deste ano os mass media foram criando uma atmosfera de medo, numa clara tentativa de desmobilizar a participação publica. Contrariamente aos seus intentos e previsões, as manifestações em Atenas e Salônica foram das maiores do seu genero nos ultimos anos. Infelizmente, como resultado a brutal carga policial, diversas pessoas foram gravemente feridas e duzias foram presas.



O movimento popular de Oaxaca sofre mais um dia brutal

Bruno Parga, 27.11.2006 22:25

<!-- Couldn't get value of variable encodeHTML: Couldn't get referent of encodeHTML: Couldn't get referent of title: IndexOutOfBoundsError in to_media_images -->
Batalha entre a APPO e a PFP em Oaxaca após a Marcha

Depois de protestar pacificamente contra a presença de forças da polícia federal na cidade de Oaxaca no dia 25 de novembro de 2006, o povo de Oaxaca sofreu ataques-relâmpago de policiais e paramilitares. A guerra de baixa intensidade sofrida pelo povo oaxaquenho recrudesceu a um novo nível quando a polícia e os paramilitares atuaram coordenadamente para abrir fogo contra manifestantes. Centenas de pessoas foram presas, desaparecidas, feridas ou estão escondidas nas casas por temerem por suas vidas. O terror permeia a cidade, mas o movimento popular de Oaxaca se reagrupa para outro dia de luta pela saída de Ulises Ruiz. Leia mais

Foram relatados quatro grupos armados diferentes operando na cidade de Oaxaca neste momento: paramilitares apoiados pelo PRI, a Polícia Federal Preventiva (PFP), a polícia estadual e a Polícia Federal Investigativa (AFI). Estações de rádio do PRI têm incitado ataques ao divulgar as ruas e bairros nos quais os manifestantes haviam se escondido. Eles também encorajaram ataques a estrangeiros solidários à APPO. Leia mais

Minuto a Minuto: Nov. 26 (ing) || 26 de Nov. (esp) || Nov. 25 (ing) || 25 de Nov.(esp)

Fotos: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6

[ Presos || Feridos || Desaparecidos ]

Notícias e solidariedade: Rádio APPO || Indymedia Oaxaca || CMI Chiapas || Centro de Medios Libres || Narco News || Oaxaca Revolt || Indybay || El Enemigo Común



Pro-Democracy Riots in Tonga

26.11.2006 00:29

Revolutionary not Evolutionary Pro-democracy movement leaders in Tonga say the system needs to change, according to a report (with photos) by indymedia activists. This comes after riots broke out in Tonga's capital, Nuku'alofa, on November 16 resulting in 8 deaths and many businesses set ablaze. The riots occurred after a demonstration of 800 people marched to parliament with banners calling for immediate reform. Other banners attacked public figures, and another labeled the current structure a "deadly virus".

Australia and New Zealand have dispatched troops to Tonga to shore up the corrupt rule of the Tongan Monarchy. The Australian government has intervened as part of its pro-market agenda for its Pacific sphere of influence. Wellington protest. Auckland protest callout.

Aotearoa IMC




<<<< You are on page 82 of 94 pages >>>>
Jump to page: